Astenia da primavera: o que é?

Prevenção e bem-estar
3 mins leitura

Com o início da primavera, há quem sinta mais cansaço que o habitual. É o seu caso? A “culpada” pode ser a astenia da primavera. Saiba o que é e o que fazer.

 Muitas pessoas ficam surpreendidas quando, ao chegar a primavera e o tão esperado bom tempo, se sentem mais cansadas do que o habitual. De facto, a chegada desta estação, com as consequentes mudanças climáticas, pode fazer surgir a chamada "astenia da primavera", cujos sintomas podem englobar:

  • Alergias
  • Falta de energia e alterações do sono
  • Dificuldades a nível da concentração e da memória
  • Irritabilidade
  • Diminuição da líbido
  • Fadiga
  • Fraqueza

 

Quando a hora muda

A mudança da hora na primavera pode ser a causa da fadiga que muitas pessoas sentem nesta estação. Isto porque, embora haja quem se adapte ao novo horário dentro de um a dois dias, há pessoas que têm maiores dificuldades em fazê-lo e podem levar mais tempo. 

 

Outras causas da astenia de primavera

O facto de os dias serem maiores (com um período mais prolongado de luz natural) pode levar-nos a ficar ativos até mais tarde. Há quem opte inclusivamente por ir ao ginásio mais tarde, o que nem sempre é uma boa opção, pois a prática de atividade de alta intensidade perto da hora de deitar pode interferir com o tempo que levamos a adormecer.

A mudança da hora e os dias maiores não são os únicos fatores que favorecem a astenia da primavera: também uma dieta pobre em vitaminas e minerais, um dia a dia com stress exagerado e o sedentarismo podem contribuir para o desenvolvimento da astenia de primavera.

Igualmente, as alergias, sendo mais comuns na primavera, também podem estar na  origem da astenia, inclusivamente interferindo com o sono.

   

O que fazer?

Se se identifica com os sintomas associados à astenia da primavera, siga estes conselhos:

  1. Faça uma dieta equilibrada e variada, rica em fruta e vegetais. Evite o consumo de alimentos processados, fritos, fast food, alimentos e bebidas que contenham açúcar
  2. Não consuma cafeína em excesso
  3. Fracione as refeições, não permanecendo em jejum mais de 3 horas
  4. Pratique exercício físico regularmente, de preferência de manhã ou ao final da tarde; a prática de exercício físico aumenta a produção de endorfinas que promovem a sensação de bem-estar
  5. Tente dormir 7-8 horas por noite
  6. Beba entre 1,5L a 2L de água diariamente
  7. Aprenda a gerir o stress: planeie bem o dia, estabeleça prioridades e partilhe tarefas.

 

Quando consultar o médico 

Recorde que no caso de sintomas persistentes deve consultar o seu médico assistente para excluir e tratar outras patologias: alergias, anemia, depressão, doença celíaca ou problemas de tiroide.  

 

Atenção!

Não recorra à toma de suplementos nutricionais sem consultar o seu médico assistente.