Tenossinovite estenosante

Dedo em gatilho
O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

A tenossinovite estenosante envolve os tendões e polias dos tendões flexores dos dedos da mão. Os tendões funcionam como longas cordas desde os músculos no antebraço e passando através dum túnel, de base óssea e teto de tecido fibroso, até atingirem os dedos. Dentro do túnel os tendões estão envoltos numa película que permite o deslizamento fácil dentro da bainha e polias.

Mais frequente na população adulta e nos diabéticos, a tenossinovite estenosante - normalmente conhecida como dedo em mola ou dedo em gatilho - acontece quando o tendão desenvolve um nódulo ou edema da película envolvente. Quando o tendão edemacia, aumenta de volume, e tem de roçar na entrada do túnel (bainha do tendão flexor), o que provoca dor, ressalto e sensação de prisão  no dedo. Quando o tendão roça na bainha produz-se mais inflamação e mais edema. Isto provoca um ciclo vicioso entre o gatilho, inflamação e edema, o que leva em alguns casos a um bloqueio, não sendo possível dobrar ou esticar o dedo envolvido.

O dedo em gatilho pode iniciar-se como um ligeiro desconforto sentido na base do dedo. Um espessamento pode ser sentido nessa zona. Quando o dedo começa a ficar bloqueado e a provocar o ressalto ou gatilho, o problema poderá parecer na articulação interfalângica próximal do dedo. No início da doença o ressalto é esporádico, ficando cada vez mais frequente com o avançar da inflamação do tendão, podendo causar um bloqueio da capacidade para o esticar.

As causas para o aparecimento do dedo em gatilho não estão totalmente esclarecidas. Um traumatismo da palma da mão pode provocar irritação dos tendões flexores. Algumas doenças como a artrite reumatoide, a gota e a diabetes estão associadas com o aparecimento de dedo em gatilho.

O diagnóstico é feito pela história do doente e pelo exame da mão.

Normalmente esta doença origina dor na palma da mão ou na base do polegar assim como o ressalto do dedo ou prisão do dedo numa posição dobrada.

O objectivo do tratamento do dedo em gatilho é eliminar o ressalto ou prisão e permitir o movimento total do dedo sem dor ou desconforto. O edema à volta do tendão flexor e da bainha deve ser reduzido para permitir o deslizamento suave do tendão. O uso de uma tala ou a toma de anti-inflamatórios orais ou injetados na zona à volta do tendão podem estar indicados para diminuir o edema. O tratamento pode também implicar uma mudança de atividade para diminuir o traumatismo direto.

O tratamento cirúrgico é recomendado na doença mais avançada ou na falha dos tratamentos anteriores e consiste na secção de parte da bainha do tendão afetado e na libertação das aderências do tendão. A mobilização activa do dedo começa geralmente no pós-operatório imediato e a utilização normal do dedo pode recomeçar assim que a ausência de queixas o permita.

A grande parte das medidas de prevenção da tenossinovite estenosante são boas práticas comuns:

  • Evitar movimentos repetitivos, em particular com os dedos, as mãos e os braços. Quando estes são inevitáveis, deve garantir pausas regulares
  • Fazer exercícios adequados ao fortalecimento da zona afetada
  • Antes da prática desportiva fazer sempre o aquecimento  
  • Ter uma posição de trabalho correta e uma cadeira ergonómica
Fontes:

Tenosynovitis