Fratura da cabeça do fémur

O que é?
Causas
Diagnóstico
Tratamento

A cabeça do fémur é vascularizada por três fontes arteriais: o ligamento redondo, a artéria femoral circunflexa externa e pela artéria femoral circunflexa interna (a mais importante)

 

Quase 70% da cabeça do fémur está envolvida na transferência de carga, pelo que alterações da superfície articular podem levar ao desenvolvimento de artrose pós traumática.

 

As fraturas da cabeça do fémur estão quase sempre associadas a uma luxação da anca.

A maioria das fraturas da cabeça femoral resultam de acidentes de viação com traumatismo do membro inferior e transmissão da força através do fémur até à cabeça femoral que, dependendo da posição da anca pode resultar em luxação e/ou fratura.

As radiografias da bacia, antero posterior e as incidências oblíquas são utilizadas para diagnosticar a fratura da cabeça, a luxação da anca e a existência de fragmentos intra- articulares.

 

A TAC é importante para identificar fraturas acetabulares associadas e a existência de fragmentos intra- articulares.

Os objetivos são a redução da luxação e caso seja possível, a osteossíntese da cabeça femoral.

 

Para fazer a osteossíntese da cabeça femoral é necessário que a vascularização da cabeça femoral não seja afetada, caso contrário o risco de necrose avascular e posterior artrose pós traumática é muito elevado.