Conselhos práticos para os sobreviventes de cancro
Cancro
4 mins leitura

Da alimentação ao exercício físico, há vários hábitos de vida que os sobreviventes de cancro devem adotar. A WCRF UK reuniu algumas delas.

Terminado o tratamento oncológico, existem alterações a nível do estilo de vida que ajudam à recuperação do doente, aumentam os níveis de energia e reduzem o risco de recorrência ou desenvolvimento de um novo cancro. Por esta ser uma preocupação comum a muitos doentes oncológicos e às suas famílias, partilhamos consigo as recomendações para os sobreviventes de cancro que a World Cancer Research Fund (WCRF UK) divulga no seu site. É importante reforçar que estas recomendações não dispensam que o doente se aconselhe, sempre, com o seu médico assistente.

 

Os sobreviventes de cancro devem...

 

1. Manter um peso saudável

A seguir a não fumar, manter um peso saudável é a forma mais importante de reduzir o risco de cancro. Atualmente, a obesidade é reconhecida como um dos principais fatores de risco para o cancro, doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2, entre outras patologias.

Segundo a WCRF UK, ter um peso saudável reduz o risco de:

  • Cancro do intestino
  • Cancro da mama (em mulheres na pós-menopausa)
  • Cancro do esófago (adenocarcinoma)
  • Cancro do pâncreas
  • Cancro do endométrio
  • Cancro do rim

Muitas vezes, as mulheres que têm cancro da mama na pós-menopausa ganham peso durante o tratamento oncológico, o que pode ter impacto na saúde e estar associado a taxas mais elevadas de recorrência e de mortalidade.

 

O peso é avaliado através do IMC

Para ajudar a avaliar se o peso do doente oncológico o coloca em risco de vir a ter novos problemas de saúde, pode ser útil calcular o seu Índice de Massa Corporal (IMC). O IMC também ajuda a identificar os doentes que estão abaixo do peso ou em risco de subnutrição. Se ocorreu uma perda de peso significativa durante o tratamento oncológico (por exemplo, mais de 10% do peso corporal total), toda a atenção deve focar-se no sentido de assegurar a saúde nutricional ideal do doente.

O IMC calcula-se dividindo o nosso peso (em quilogramas) pelo quadrado da altura (em metros):

IMC = peso : altura x altura

 

Tabela IMC

  • IMC menor que 18.5 Peso inferior ao normal
  • IMC entre 18.5 e 24.9 Peso saudável
  • IMC entre 25 e 29.9 Excesso de peso
  • IMC igual ou maior que 30 Obesidade

 

Se o IMC do doente revelar excesso de peso ou obesidade, é aconselhável uma perda inicial de peso entre cinco a 10% do seu peso corporal total. Esta medida, por si só, tem demonstrado benefícios significativos para a saúde.

 

Sabia que…

As mudanças a nível de estilo de vida para reduzir o peso (melhoria dos hábitos alimentares, prática de atividade física…) devem ser introduzidas gradualmente, de modo a que o doente consiga geri-las no dia a dia.

 

2. Adotar uma alimentação equilibrada

Os sobreviventes de cancro devem ingerir, maioritariamente, alimentos de origem vegetal, limitar o consumo de carne vermelha e evitar carne processada.

Metade do prato (ou mais) deve ser composta por alimentos de origem vegetal (legumes/hortaliças, salada, leguminosas, grãos integrais ricos em amido e fruta). Os alimentos de origem animal (frango, peixe, ovos ou carne vermelha magra) devem ocupar um terço (ou menos) do prato. A WCRF UK recomenda que não se ingira mais de 500 g de carne vermelha cozinhada por semana.

 

O que dizem os estudos científicos

Os alimentos de origem vegetal são pobres em densidade energética (e, por isso, úteis para controlar o peso) e ricos em vitaminas, minerais, antioxidantes, fibra e fitoquímicos (compostos biologicamente ativos que podem ajudar a proteger-nos do cancro).

Existem provas científicas de que a fruta e os vegetais podem exercer um efeito protetor contra alguns tipos de cancros, especialmente os do trato digestivo (como os cancros da boca, faringe, laringe, esófago e estômago) e alguns dados apontam ainda que a ingestão de fruta pode proteger-nos contra o cancro do pulmão.

Deve consumir a fruta e os vegetais na sua versão “original” e não sob a forma de sumos ou suplementos nutricionais (que nunca devem ser tomados sem indicação do médico ou sem aconselhamento prévio junto deste).

 

Sabia que…

Não substitua a ingestão de fruta e vegetais por sumos de fruta ou suplementos nutricionais (que nunca devem ser tomados sem indicação do médico ou sem aconselhamento prévio junto deste).

 

3. Praticar atividade física regular

Os sobreviventes de cancro devem procurar ser fisicamente ativos diariamente durante, pelo menos, 30 minutos. Provas científicas sugerem que 30 a 60 minutos de atividade moderada a intensa diária podem ajudar a reduzir o risco de cancro e de excesso de peso. Existem ainda dados que demonstram que a ausência de atividade física é um fator de risco para o cancro colorretal e também o cancro da mama e do endométrio estão ligados à inatividade física.

 

Sabia que…

Vários estudos já demonstraram que o exercício físico ajuda a melhorar o bem-estar e humor, os níveis de energia e a qualidade de vida.