Pólipos e quistos vocais

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

Pólipos ou quistos vocais são lesões benignas das cordas vocais (não cancerígenos) e resultam frequentemente do uso inadequado e em esforço da voz.

São formações benignas, que crescem muitas vezes devido ao esforço da voz.

As lesões das cordas vocais manifestam-se geralmente com rouquidão, alteração do timbre vocal, interrupções frequentes de sons, fadiga vocal e redução na gama de sons. Associa-se por vezes tosse seca, pigarro e cansaço.

 

A principal causa de nódulos nas cordas vocais é o esforço vocal inadequado. A má utilização da voz está frequentemente associada a certas atividades como canto em esforço, claques desportivas, professores e treinadores e outros profissionais que usam a voz de forma profissional.

O tabaco e o abuso de álcool e bebidas quentes também favorecem o aparecimento dos nódulos.

Infeções respiratórias, refluxo gastroesofágico, corrimento posterior e rinosinusite são condições igualmente associadas a estas lesões.

O contato com irritantes químicos e certos medicamentos também podem causar lesões vocais.

Os quistos desenvolvem-se quando as glândulas das cordas vocais que secretam muco ficam obstruídas. Algumas vezes, esta situação é o resultado de um trauma repetitivo da voz como:

  • Falar ou cantar num tom anormalmente alto ou baixo ou com tensão muscular excessiva.
  • Abuso vocal: falar muito, gritar, tossir, limpar a garganta, fumar ou inalar substâncias irritantes.
  • Uso vocal excessivo: falar num ambiente barulhento, falar ou cantar por longos períodos sem interrupções ou até sussurrar.

O diagnóstico definitivo é importante para a correta orientação terapêutica, sendo muitas vezes determinante o resultado da videoestroboscopia.

Apesar de benignos necessitam habitualmente de cirurgia associada à terapia da fala.

  • Parar de fumar e evitar o fumo passivo
  • Fazer o tratamento adequado na presença de hipotiroidismo, sinusite, alergias ou refluxo gástrico
  • Evitar o consumo excessivo de álcool e cafeína
  • Beber muita água
  • Dormir bem
  • Evitar falar excessivamente ou em voz alta sem descanso vocal adequado
  • Usar um microfone, se for necessário
  • Usar um humidificador em casa
  • Aquecer a voz antes de cantar ou falar durante muito tempo
  • Descansar a voz antecipando futuras obrigações de falar
  • Evitar cantar ou falar excessivamente na presença de uma infeção respiratória superior
  • Lavar as mãos frequentemente
  • Usar técnicas de redução de stress, terapias cognitivas ou ioga para diminuir a tensão muscular
Fontes:

Cleveland Clinic