Incontinência anal

O que é?
Diagnóstico
Tratamento

A incontinência anal consiste na perda involuntária de fezes e/ou gases pelo ânus.

Pode resultar de lesão traumática do aparelho esfinteriano anal (trauma obstétrico ou perineal, complicação local de intervenções cirúrgicas ano-retais) ou da perturbação funcional neuromuscular do esfínter anal devido a doenças crónicas (diabetes mellitus, esclerose múltipla, etc) ou neoplasias.

Esta patologia condiciona geralmente uma alteração do equilíbrio emocional, social e psicológico do doente, que muitas vezes oculta os sintomas atrasando o seu diagnóstico.

A avaliação no exame protológico pode dar informação sobre o tónus do esfínter anal e a existência de patologia local.

Muitas vezes é necessário recorrer a realização de exames complementares: ecografia endo-anal (que avalia estrutura do aparelho esfincteriano anal) e manometria ano-rectal (que estuda as alterações da função muscular do recto e do canal anal).

Se a sintomatologia for ligeira, o tratamento médico com controlo da consistência das fezes pelos cuidados alimentares e medicamentos pode ser eficaz. Em alguns casos a reeducação do esfínter anal por técnicas de biofeedback pode melhorar a qualidade de vida.

No caso de falência destas medidas, e em situações de lesão grave do esfínter anal, pode ser necessário equacionar as opções cirúrgicas.