Cirurgia Nervosa

Áreas de intervenção

Plexo Braquial

Felizmente que as lesões do plexo braquial são cada vez mais escassas. De uma maneira geral falamos de lesões de plexo braquial obstétrico, que são aquelas que resultam de um trauma no parto, e lesões do plexo braquial do adulto, maioritariamente relacionadas com um trauma agudo.

O tratamento cirúrgico, resumidamente, divide-se entre a cirurgia nervosa e cirurgia tendinosa.

O trabalho da Medicina Física e Reabilitação é essencial para o sucesso das cirurgias.

 

Nervos periféricos

A patologia de nervos periféricos é extremamente extensa e variada. Tratam-se de estruturas muito delicadas, o que acresce dificuldade à cirurgia.

As opções cirúrgicas são múltiplas e inovadoras. É uma área em permanente evolução e os limites são restabelecidos diariamente.

As patologias mais frequentes são os síndromes compressivos ao longo do trajeto dos nervos, as lesões agudas e os tumores.

 

Paralisia Facial

A paralisia facial caracteriza-se pela ausência de mobilidade dos músculos da face. Habitualmente só se verifica em um dos lados face, o que contribui para uma assimetria marcada.

Sendo a face tão importante na interação social, compreende-se a importância da reconstrução nos casos de paralisia facial.

As causas são múltiplas destacando-se acidentes vasculares cerebrais, tumores, infeções, traumatismo, entre outras.

A reconstrução é dirigida quer aos problemas funcionais quer estéticos. O objetivo da cirurgia é uma face o mais simétrica possível, funcional e natural.