Cancro: como lidar com a queda de cabelo

Cancro
2 mins leitura

Muitas vezes, durante o tratamento do cancro, os doentes oncológicos poderão passar por uma queda de cabelo acentuada. A boa notícia é que pode ser minimizada.

A queda do cabelo, denominada alopecia, pode ocorrer como consequência de alguns tratamentos farmacológicos, em especial àqueles que se destinam à terapêutica oncológica.

A frequência da queda dos cabelos é variável e depende dos medicamentos utilizados no tratamento. Alguns dias antes da queda, pode surgir dor na zona do couro cabeludo. Nas formas mais severas, as sobrancelhas e os pelos podem também cair. Em todo o caso, a queda do cabelo ocorre entre duas a quatro semanas após o tratamento, persistindo durante o período em que este se realiza. No entanto, a queda de cabelo é reversível. Saiba como prevenir e minimizar o impacto da alopecia.

 

O que pode fazer

Há algumas medidas que o doente pode adotar que ajudam a minimizar o impacto da alopecia:

  • Após começar o primeiro tratamento, deve cortar o cabelo de modo a que, quando este começar a cair, não arraste a raiz na queda
  • Utilizar champô suave
  • Evitar tudo aquilo que possa agredir o couro cabeludo como permanentes, colorações e secagem do cabelo com secador
  • Usar uma peruca que lhe agrade, adaptada à sua imagem
  • Como alternativa à peruca, o doente pode utilizar turbantes ou lenços que lhe agradem

 

Como prevenir a queda de cabelo 

Em alguns casos, a alopecia pode tentar ser prevenida com recurso à utilização de um capacete arrefecido (scalp cooler) que se coloca na cabeça dos doentes durante as sessões de quimioterapia.

 

Sabia que…

O Instituto CUF de Oncologia disponibiliza um serviço de tratamento de imagem, Pure Life Concept, que ajuda o doente oncológico a lidar com os efeitos da alopecia provocados pela quimioterapia (para saber mais leia o artigo Doença oncológica e alterações na imagem.

Doenças