Estomaterapia

O que é?

A estomaterapia é uma área de especialização de enfermagem, no acompanhamento de doentes no pré e pós-operatório, quando o tratamento da doença implica uma cirúrgica com realização de ostomias.

A estomaterapia é essencial no apoio ao doente oncológico, ensinando-o a minimizar o impacto da ostomia no seu dia a dia, contribuindo para a sua recuperação e o seu bem-estar.

As equipas de estomaterapia têm ainda um papel preponderante na educação/formação de outros profissionais de saúde nesta área tão específica.

 

Ostomia é:

é um procedimento cirúrgico que consiste na desconexão de algum trecho do tubo digestivo, do aparelho respiratório, urinário, ou outro qualquer, e a abertura de um orifício externo, por onde o tubo será ligado. Este orifício chama-se estoma.

 

Estoma é: 

uma abertura, como uma boca, feita cirurgicamente no abdomen, por onde o conteúdo dos intestinos (fezes) será expelido para uma bolsa coletora. O estoma pode ser temporário ou definitivo.

A Unidade de Cancro Colorretal da CUF Oncologia conta com profissionais treinados em estomaterapia que acompanham os doentes que irão realizar uma colostomia.

 

O que é a colostomia?

A colostomia é a criação cirúrgica de uma abertura artificial (estoma) no cólon, que é uma parte do intestino grosso, que fica exposta no abdómen. Esta abertura será o local por onde sairão as fezes.                      Dependendo da localização da colostomia , ela pode ser classificada em:

  • Colostomia ascendente : as fezes são líquidas
  • Colostomia transversa: as fezes são semi-líquidas
  • Colostomia descendente: as fezes são moldadas
  • Colostomia sigmóide: as fezes são firmes e sólidas
O que precisa saber
Vida Social e Familiar

Após um período de adaptação à sua nova situação, torna-se necessário adquirir confiança e segurança para que possa voltar a realizar as atividades que fazia anteriormente.

O diálogo e consequente confiança desenvolvida entre a pessoa com colostomia e as pessoas que lhe são mais próximas vão facilitar o retorno às antigas atividades, como ir ao café, a uma festa, passear ao ar livre ou viajar, andar de bicicleta, ir à praia e nadar.

Recomendamos que:

  • na praia ou na piscina deverá tomar banho sempre com saco de colostomia, não esquecendo de tapar o filtro
  • relativamente ao vestuário pode usar a roupa que for do seu agrado, tendo em atenção que não deve usar cintos ou roupa muito apertados  por cima do estoma
  • sempre que sair ou for viajar deve preparar uma pequena mala ou estojo com o material necessário para cuidar do seu estoma, assim como de uma muda de roupa
Higiene e Cuidados com a Pele Periestomal

A pele periestomal e o próprio estoma são especialmente sensíveis, e é por esta razão muito importante que a pessoa com colostomia saiba cuidar corretamente, tendo em conta os seguintes aspectos:

  • a pele periestomal e o estoma devem ser lavados com água morna e sabão/gel com pH neutro
  • pode tomar banho de duche com ou sem saco e se escolher tomar com saco, não se esqueça de tapar o filtro
  • deve secar muito bem, após a lavagem, a pele que se encontra debaixo do saco de colostomia
  • não devem ser utilizadas substâncias como perfume, álcool, sabões agressivos, para não irritar a pele 
  • não devem ser aplicados cremes gordos, pois impedem a aderência da placa
  • deverá utilizar um sistema de saco e placa de colostomia de 1 ou 2 peças, que lhe proporcione a segurança de ter uma pele bem cuidada
  • se o seu estoma ou pele periestomal apresentar alguma alteração, coloração diferente, sangue, se tiver diarreia ou se a sua colostomia não funcionar durante alguns dias, deverá contatar o enfermeiro ou médico.

 

Tipos de dispositivos

Existem no mercado uma grande diversidade de dispositivos e produtos, permitindo todos eles segurança, discrição e conforto. São eles:

  • sistema de 1 peça -  este sistema é constituído por um saco auto-aderente permitindo uma eficaz aderência á pele. Este tipo de saco quando necessita de ser mudado o sistema é retirado como um todo

 

  • sistema de 2 peças – este sistema é constituído por um saco e uma placa protetora cutânea. Tem vantagem relativamente ao anterior, pois permite a mudança do saco sem retirar o protetor cutâneo durante 3 a 5 dias, se este se encontrar íntegro e limpo

 

Aplicação dos dispositivos

A colostomia deve ser medida periodicamente pois podem verificar-se alterações no seu tamanho, e por isso existem medidores de estomas. 

De forma a facilitar a colocação do dispositivo, deverá ser utilizado um espelho. 

 

Tratando-se de dispositivo de 1 peça o procedimento deverá ser o seguinte:

  • fazer a higiene da pele e estoma
  • medir o perímetro do estoma com ajuda do medidor de estomas
  • recortar a laca pela medida do estoma
  • retirar o papel protetor
  • aplicar o saco de baixo para cima ao longo da pele periestomal      
  • pressionar em seguida com as mãos fazendo movimentos circulares para uma adaptação correta da parte adesiva ao estoma

 

Tratando-se de dispositivo de 2 peças o procedimento deverá ser o seguinte:

  •  fazer a higiene da pele e estoma
  •  medir o diâmetro do estoma com a ajuda de um medidor
  •  recortar a placa pele medida do estoma
  • colocar em 1º lugar a placa adesiva cujo orifício terá aproximadamente a forma e o tamanho do estoma e com a ajuda dos dedos fazer movimentos circulares para facilitar a aderência. Em seguida deverá adaptar o saco certificando-se que este fica bem adaptado á placa.

 

Alimentação

O facto de ter uma colostomia não implica ter uma alimentação muito diferente daquela que habitualmente fazia. Terá sim que ter em atenção alguns aspectos importantes :

  • deve fazer uma dieta equilibrada ou seja , comer carne, peixe, frutas, verduras, legumes
  • deve beber cerca de 1,5l a 2l de água diariamente e diminuir ou não consumir as bebidas com gás
  • deve ter em atenção a introdução de novos alimentos ou seja, deverá ingerir pequenas quantidades de um alimento novo e verificar qual a tolerância para poder aumentar a quantidade
  • deve mastigar lentamente os alimentos
  • a alimentação deve incluir alimentos ricos em fibra como frutas, verduras ou legumes pois ajudam a regular o trânsito intestinal

 

Alimentos que podem:

  • “prender” o intestino: arroz, queijo seco, banana, compota de maçã
  • provocar diarreia: leite, morangos, feijão, figos, kiwi, laranja, vegetais, cerveja, gorduras cruas
  • provocar cheiro nas fezes/gases: ovos, alhos, cebola, café, peixe, couve
  • diminuir o cheiro das fezes/gases: iogurtes, salsa, espinafres, alface
  • irritar o estoma: condimentos fortes, sumos de fruta ácida
  • provocar gases: feijão, pão, ervilhas, cebolas, chocolate, fermentos, bebidas com gás, legumes (brócolos, couve-flor)
Sexualidade

É naturalmente uma preocupação da pessoa colostomizada, tendo em conta a dúvida ou insegurança de que a sua função sexual poderá estar diminuída.

Raramente a função está  afetada. A facilidade com que a pessoa supera as dificuldades depende muito da capacidade de expressar o que sente, manifestando os seus medos e dificuldades. Pode e deve falar com o seu médico ou enfermeiro.

Informações de interesse | Aquisição de produtos 

Os dispositivos são fornecidos de forma gratuita na farmácia, desde que o doente apresente a receita médica. A prescrição destes produtos deve ser efetuada exclusivamente por prescrição médica por via eletrónica (sem prejuízo das exceções legalmente previstas).

Os dispositivos são comparticipados em 100% pelo Sistema Nacional de Saúde, desde 1 de abril de 2017, com a entrada em vigor da portaria nº 284/2016. 

A prescrição do material de ostomias deve conter a referência e a descrição do material a utilizar para ser válida nas farmácias, sendo a presccrição da competêcnia do médico especialistas ou dos médico de família.

Relativamente aos benefícios fiscais existe legislação aplicável aos ostomizados, encontrando-se estabelecidos benefícios:

  • referentes a portadores de doença oncológica
  • referentes a deficiência com 60% ou mais de incapacidade

A aquisição de materiais após a alta poderá ser feita na farmácia, mediante receita médica. Esta informação será entregue durante o internamento, no momento da alta ou na Consulta de Estomaterapia. No momento da encomenda deve ter sempre presente as referências dos produtos e os tamanhos. 

enfermeiro com doente ostomizado