Nevralgia

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

Corresponde a um episódio de dor muito intensa, semelhante a um corte, choque ou queimadura que ocorre associada a uma lesão de um nervo. Esse pode localizar-se em qualquer parte do corpo, sendo mais comum na região da face e pescoço. As causas para sua a lesão podem ser uma doença, como a diabetes ou a esclerose múltipla, uma infeção ou o próprio envelhecimento. Por vezes, as causas não são identificáveis.

Os tipos mais comuns de nevralgia são as que ocorrem após uma infeção pelo vírus Herpes (pós-herpética), a do trigémio e a do glossofaríngeo.

Os sintomas dependem do nervo afetado. No caso da nevralgia pós-herpética, o nervo pode ser praticamente qualquer um. Habitualmente ocorre após a fase de vesículas e pode durar meses ou anos. Na do trigémio associa-se a dor ao longo do trajeto deste nervo, que se estende do cérebro até a uma das faces (muito comum nos idosos). De um modo geral, este caso resulta da compressão do nervo por um vaso sanguíneo. Na do glossofaríngeo, que se localiza na região da garganta, a dor atinge o pescoço e a garganta. Este tipo de não é tão frequente.

Para além da dor, a nevralgia pode acompanhar-se de maior sensibilidade da pele ao longo do trajeto do nervo lesado, de modo que qualquer toque é sentido como mais doloroso. Por outro lado, também pode ocorrer adormecimento ao longo desse percurso e os músculos que recebem o impulso do nervo afetado podem evidenciar sinais de fraqueza ou, mesmo, de paralisia total.

Cada nervo encontra-se protegido por um revestimento (mielina). Se essa camada protetora for danificada, ocorre a nevralgia. As causas mais comuns são as infeções, como as causadas pelo vírus Herpes, pela doença de Lyme, pelo VIH e pela sífilis. A esclerose múltipla é uma doença que resulta da degradação da mielina e, por esse facto, um dos seus múltiplos sintomas é a nevralgia, frequentemente na região da face. A pressão sobre um nervo é outra causa comum. Pode ser exercida por um osso, ligamento, vaso sanguíneo ou tumor. Por exemplo, a do trigémio é frequentemente originada pela pressão exercida nesse nervo por um vaso sanguíneo dilatado. A diabetes é outra razão por que o excesso de açúcar pode danificar a bainha de mielina. Outras causas possíveis são a doença renal crónica, porfiria, alguns medicamentos, traumatismo, cirurgia anterior, irritação química.

O seu diagnóstico implica o exame médico e neurológico e o estudo por ressonância magnética, para excluir a esclerose múltipla. Sempre que necessário, são solicitados outros testes que ajudem a identificar a localização e a causa do problema.

Quando a causa está identificada, o tratamento passa pela abordagem desse fator desencadeante. Nos restantes, é essencial obter um controlo adequado da dor. O tratamento pode passar pela cirurgia para aliviar uma compressão nervosa, pelo controlo da glicémia na diabetes, pela fisioterapia ou pelo bloqueio do nervo mediante uma injeção que “desliga” os sinais dolorosos e reduz a inflamação. Podem ainda ser prescritos analgésicos, anti convulsivantes, antiespasmódicos ou antidepressivos, em função da avaliação médica.

O tratamento das doenças que a podem causar permite prevenir o seu desenvolvimento. No caso da infeção pelo vírus Herpes, a terapêutica com antivirais pode prevenir a ocorrência de lesão do nervo e consequente nevralgia.

Fontes

Mayo Foundation for Medical Education and Research, Agosto de 2012

University of Maryland Medical Center, Setembro 2012

The Johns Hopkins University, Agosto 2014