Joanetes

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

Os joanetes, ou hallux vagus, são uma deformação no dedo grande do pé, em que o seu alinhamento sofre uma alteração e começa a desviar-se em direção ao segundo dedo. Deste desvio, resulta uma formação óssea - um alto - na lateral do pé, onde o dedo se junta ao pé. Esta zona pode inflamar e provocar dor.

O termo "hallux" refere-se ao dedo grande do pé. Como o hallux se desvia do seu eixo apontando para o dedo mínimo, falamos de um desvio "valgo". Isto cria, inevitavelmente, uma saliência óssea no pé, que é também conhecida como joanete.

Este defeito perturba o correto alinhamento dos dedos e, em alguns casos, a pressão exercida pelo dedo grande pode levar à deformação da articulação do segundo dedo, que por sua vez “empurra” o terceiro dedo e assim por diante.

Os joanetes tendem a progredir lentamente e a agravar-se com o decorrer do tempo e são uma das deformações dos pés mais comuns e, embora qualquer pessoa possa vir a desenvolvê-los, são mais comuns entre as mulheres. A maior prevalência no sexo feminino deve-se, possivelmente, à preferência por calçado mais apertado e estreito e o facto de os seus ligamentos serem mais “folgados”.

Os sintomas dos joanetes manifestam-se apenas a nível local, na zona onde se encontra esta deformação, e passam por:

  • Dor
  • Inflamação e vermelhidão
  • Sensação de ardor
  • Calosidades
  • Dormência

Normalmente, os sintomas ocorrem quando se usam sapatos muito estreitos, que apertam o dedo do pé, obrigando-os a “amontoarem-se”. Isto acontece, por exemplo, com os sapatos com um formato bicudo e nos de salto alto. Passar longos períodos de tempo em pé pode também resultar num agravamento dos sintomas.

Os joanetes são muitas vezes causados por algum tipo de defeito já existente na estrutura do pé (o que é, normalmente, genético) e que aumenta a probabilidade da pessoa vir a desenvolvê-los. É por isso que um indivíduo cujos pais ou avós tenham joanetes está mais propenso a sofrer igualmente deste problema.

O seu aparecimento pode também dever-se ao tipo de calçado utilizado, por exemplo, quando o tamanho é inadequado ou é muito justo.

Estes podem também desenvolver-se quando o dedo grande empurra o segundo dedo e faz com que os dedos se cruzem, dificultando a caminhada pela pressão que os sapatos fazem nos dedos.

Este problema tende a agravar-se progressivamente, pois, como o dedo grande do pé está inclinado, os tendões já não o conseguem puxar em linha reta.

Outros fatores que podem contribuir para o desenvolvimento de joanetes são a idade, artrite (como a reumatoide) e a prática de desporto.

A simples observação permite verificar a existência de joanetes. Contudo, para avaliar a sua gravidade e grau de deformação, o especialista poderá recorrer a radiografias.

Perante a existência de joanetes, existem vários cenários possíveis: algumas pessoas têm deformações grandes que não causam dor, mas sim dificuldades ao nível do calçado, enquanto outras têm joanetes pequenos, mas que são muito dolorosos. O tratamento vai depender destas características.

O especialista - por exemplo, um podologista - pode recomendar algumas estratégias que, embora não corrijam a deformação, aliviam os sintomas e evitam o seu exacerbamento, como:

  • Realização de exercícios específicos
  • Uso de ortóteses (que podem ser, por exemplo, rígidas para colocar durante a noite) e de protetores almofadados
  • Optar por calçado adequado, confortável, preferencialmente baixo e mais largo à frente, a fim de evitar a fricção

Para o alívio da dor e inflamação, podem ser prescritos, por exemplo, medicamentos anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno, e recomendada a aplicação de gelo várias vezes ao dia.

Quando estas medidas falham e/ou a dor interfere com as atividades do dia a dia, poderá avançar-se para a realização da cirurgia. Este procedimento pode ser executado por técnica aberta ou minimamente invasiva (percutânea). A escolha da técnica dependerá de fatores como a gravidade e a dimensão do desvio, a capacidade de correção, a presença de artrose e de patologias associadas, a mobilidade articular, a preferência do cirurgião ou o comprimento do dedo grande em comparação com os outros. Em ambos os casos é feita a remoção do excesso de ossos e osteotomias (cortes no osso) para realinhar o dedo. Esta é a única forma de corrigir a deformação. As técnicas atuais de anestesia e controlo da dor tornaram estes procedimentos mais rápidos e menos dolorosos, podendo ser realizados em ambulatório, mas muitas vezes o paciente permanece no hospital pelo menos uma noite.

Alguma medidas que deve adotar no dia a dia para evitar o desenvolvimento de joanetes passam por:

1. Optar por sapatos adequados ao pé, espaçosos o suficiente para que os dedos não estejam apertados uns contra os outros;

2. Evitar o uso de sapatos de salto alto abertos no calcanhar;

3. Variar a altura dos saltos ao longo dos dias;

4. Se calçar saltos altos todos os dias, use os que medem no máximo 4 cm; e

5. Usar sapatos que tenham uma fivela por cima do peito do pé, pois dá mais segurança ao pé e ajuda a evitar que este esteja sempre a escorregar para a frente.