Doença celíaca

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

É uma patologia autoimune desencadeada pelos alimentos com glúten - proteína presente em alimentos como pão, bolachas e massas, entre outros cereais -, podendo originar mal absorção dos nutrientes, perda da densidade óssea, infertilidade, doenças neurológicas e certos tipos de cancro. 

Esta patologia afeta o intestino delgado de adultos e crianças geneticamente predispostos. A doença causa atrofia das vilosidades da mucosa do intestino delgado, causando má absorção dos nutrientes, vitaminas, sais minerais e água.

Os sintomas podem incluir diarreia, dificuldades no desenvolvimento (em crianças) e fadiga.

Deve-se a uma alteração da auto-imunidade desencadeada pela ingestão de alimentos que contêm glúten.

Apenas 1 em cada 5 doentes com doença celíaca sabem que têm a doença, sendo o diagnóstico por vezes difícil pois a instalação de sinais e sintomas tende a ser lenta.

A doença celíaca é mais comum em algumas famílias, em pessoas com diabetes tipo 1, doenças hepáticas e da tiroide, síndromes de Down, de Turner ou de Williams. Como tende a ser genética, na presença destas patologias, é recomendável fazer exames médicos.

Os exames de diagnóstico incluem: teste de exposição ao glúten, análises genéticas (pesquisa dos genes HLA-DQ2 e HLA-DQ8) e sanguíneas (anticorpos no sangue). No processo diagnóstico deve realizar-se endoscopia digestiva (colonoscopia total com ileoscopia) com biópsias intestinais.

Não existem medicamentos que tratem a doença celíaca- o único tratamento efetivo é uma dieta estritamente sem glúten. É fundamental o acompanhamento nutricional de modo a elaborar um plano nutricional equilibrado. Devem ser evitados o trigo, centeio, cevada, farinhas de Graham, malte e semolina; alguns celíacos toleram aveia (rotulada como isenta de glúten).

A farinha de trigo é um ingrediente comum em sopa em lata, molhos para salada, gelados, café instantâneo, carnes processadas ou enlatadas, mostarda e ketchup, iogurte, massas e doces. Pode ainda estar presente em vitaminas e suplementos (o amido de trigo é usado no fabrico de comprimidos e cápsulas), na pasta de dentes, em produtos para enxaguar a boca e em cosméticos, como no batom.
A dieta deve complementar os défices em nutrientes como vitaminas e sais minerais que não são absorvidos adequadamente, sobretudo: ferro,cálcio, fibra, zinco, vitamina D, niacina, magnésio e ácido fólico. Depois de ser iniciada uma dieta sem glúten, o intestino recupera e pode absorver novamente estes elementos mas pode ser necessário tomar  multivitamínicos ou suplementos para fazer face a estas carências.

A doença celíaca é um distúrbio autoimune, atualmente ainda não existe uma forma comprovada de a prevenir. 

Fontes:

Mayo Clinic

WebMD

Doenças relacionadas