Desvitalizei um dente - e agora?

Saúde oral
4 mins leitura

Muitas são as questões antes e depois de um tratamento endodôntico. Saiba em que consiste este tipo de tratamento e conheça a resposta às dúvidas mais comuns.

Em cerca de 90% das ocasiões, quando um doente se dirige à Consulta de Endodontia já vem encaminhado pelo seu médico generalista, que diagnosticou o caso clínico e deu informações ao doente para ser seguido por um Endodontista.

Entre a consulta com o médico generalista e consulta com o médico de especialidade, várias são as questões que surgem. Conheça aqui a resposta a algumas das perguntas mais comuns.

 

"Porque razão fui encaminhado? O meu médico não pode realizar este tratamento?"

Cada vez mais as equipas de medicina dentária que integram uma unidade de saúde são multidisciplinares, o que significa que, apesar da formação generalista de cada médico dentista, cada membro da equipa teve formação específica numa determinada especialidade.

Assim, numa primeira consulta, o médico dentista generalista pode intervir quando os tecidos que integram o sistema canalar de um dente se encontram infetados, de modo a reduzir um episódio de dor, mas posteriormente irá encaminhar o doente para o colega com formação na área da Endodontia.

 

O que é a Endodontia?

Endodontia é uma palavra que provém do grego e que é constituída por duas palavras: Endo, que significa "dentro", e Dontia, que é a "ciência que estuda os dentes". É frequentemente conhecida como uma desvitalização ou tratamento canalar.

Assim, a Endodontia é a uma área médica que se dedica ao tratamento do sistema de canais que integra o interior dos nossos dentes. Os profissionais intervêm na limpeza, desinfeção, instrumentação e obturação desse sistema canalar, de modo a que um dente com uma infeção possa ser salvo de uma extração.

A ciência teve um avanço tão grande que atualmente, em determinadas situações, um Endodontista nem necessita de proceder à eliminação dos tecidos que fazem parte do sistema canalar do dente (nervo, vasos sanguíneos e tecido conjuntivo) e efetua um procedimento conservador.

Resumidamente, o objetivo principal de um Endodontista é salvar dentes.

 

"Desvitalizei um dente - o que acontece depois?"

Depois de desvitalizar um dente, terá lugar a reabilitação desse mesmo dente.

De acordo com o grau de estrutura remanescente pode passar por:

  • restauração com resinas convencionais
  • reabilitação com restaurações indiretas em cerâmica

 

A decisão do tipo de reabilitação a realizar será sempre feita numa perspetiva integrativa com o próprio doente e as expectativas do mesmo.

 

"O meu dente irá escurecer ao longo do tempo?"

Esta é uma das questões que é frequentemente colocada. Efetivamente há cerca de 20 anos, devido ao tipo de material que era utilizado na obturação do sistema canalar, os dentes endodonciados adquiriam uma coloração mais escura ou rosada com o passar do tempo.

Atualmente, com os protocolos de instrumentação, irrigação e obturação canalar, e a sua posterior reabilitação, um dente que passou por uma intervenção endodôntica não sofre alteração da sua coloração.

 

"Ouvi dizer que desvitalizar um dente era extremamente doloroso!"

É importante desmistificar o medo associado a procedimentos dentários. Nas últimas duas décadas a medicina dentária teve uma evolução exponencial, o que permitiu o aparecimento de novas técnicas, bem como novos fármacos. Hoje em dia qualquer procedimento dentário, seja ele mais ou menos invasivo, já não está associado a um episódio de dor, pois, dependendo do caso clínico, os profissionais têm à sua disposição anestésicos com grande capacidade de anestesia, e também as técnicas utilizadas para a administração da anestesia mudaram ao longo dos tempos.

Nos dias de hoje desvitalizar um dente não é diferente de realizar uma restauração ou uma Consulta de Higiene Oral.