COVID-19: A importância da máscara na criança

Bebés e crianças
COVID-19
5 mins leitura

Há situações em que, tal como os adultos, também as crianças devem usar máscara como medida de proteção contra a COVID-19. Saiba como normalizar o seu uso.

Há certas ocasiões em que o uso de máscara é fortemente recomendado (e em alguns casos até obrigatório) quando se trata da prevenção da infeção por COVID-19. Por exemplo, quando nos encontramos em espaços públicos fechados. Mas esta recomendação também se aplica às crianças? E a partir de que idade? Veja esclarecidas todas as suas dúvidas sobre o uso de máscara nas crianças.

 

O uso de máscara é importante porque…

Muitas pessoas infetadas com COVID-19 são assintomáticas e, por isso, o uso da máscara é tão importante para reduzir o risco de contágio. Este faz-se através de gotículas que a pessoa infetada expele pelo nariz ou boca quando tosse ou espirra. Especialmente, quando não é mantida a distância de segurança.

 

Em que casos devem as crianças usar máscara?

Crianças com idade inferior a dois anos não devem usar máscara, mas a partir dos dez anos o seu uso é obrigatório em estabelecimentos de ensino, como jardins de infância e escolas. Contudo, há outras situações, como idas ao supermercado, transportes públicos ou outros espaços públicos fechados, em que o uso de máscara é obrigatório para todos.

A partir dessa idade, devem usá-la em locais em que, por exemplo, não seja possível manter a distância mínima de segurança, como as idas ao médico.

Por outro lado, há locais em que o seu uso não está indicado, como em casa (partindo do princípio de que não estão expostas a ninguém infetado) e ao ar livre - desde que seja mantida a distância de segurança das restantes pessoas e evitem tocar em superfícies, como mesas, fontes de água, equipamentos de parques infantis e outros objetos em que uma pessoa infetada possa ter tocado.

 

E quando não usar

É importante reconsiderar o uso de máscara pela criança no caso de esta poder provocar asfixia ou estrangulamento ou se o seu uso leva a criança a tocar na cara mais vezes do que tocaria se não a estivesse a usar.

Nestes casos, os pais devem tentar ensinar, de uma forma divertida e adaptada à idade de cada criança, algumas medidas de etiqueta respiratória:

  • Ensinar a cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir com um lenço de uso único (utilizar embalagens com motivos cativantes para os mais pequenos)
  • Na ausência de lenço, ensinar a utilizar o braço ou antebraço
  • Explicar que devem tentar espirrar/tossir virando a cara para o lado oposto em que as pessoas se encontram
  • Reforçar a importância de lavar as mãos com água e sabão
  • Ensinar que após contacto das mãos com secreções, se deve evitar tocar nas superfícies antes de lavar as mãos
  • Incentivar o distanciamento, nomeadamente de pessoas com sintomas respiratórios

 

E se a criança tem medo de usar máscara?

Inicialmente, é compreensível que algumas crianças possam ter medo de usar máscara. Contudo, há estratégias que os pais podem adotar para ajudar os filhos a ultrapassar esse receio:

  • Verem-se ao espelho com a máscara posta e falarem sobre o assunto
  • Colocar uma máscara no peluche preferido da criança
  • Decorar a máscara, personalizando-a e tornando-a mais divertida
  • Mostrar à criança fotografias de outros meninos a usar máscara
  • Desenhar uma máscara numa personagem do seu livro preferido
  • Usar máscara em casa para ajudar a criança a habituar-se

 

Nas crianças com menos de três anos, responda às suas dúvidas de forma simples, utilizando uma linguagem que elas percebam.

 

“Porque é que temos de usar máscara?”

Se o seu filho lhe perguntar porque é que as pessoas estão a usar máscaras, explique-lhe que às vezes é necessário fazê-lo, por exemplo, quando as pessoas estão doentes, mas que quando melhoram podem deixar de as usar.

Em crianças com mais de três anos, foque-se na questão dos micróbios e explique-lhe que a máscara serve para manter os que são maus afastados do nosso corpo.

Com a normalização do uso de máscara pela população em geral, as crianças acabarão também por se habituar e não se sentirem estranhas por terem de a usar.

 

O tamanho certo é fundamental

Tente encontrar uma máscara com o tamanho ideal para o seu filho, de forma a que ofereça a melhor proteção possível contra a infeção pelo novo coronavírus.

 

A melhor proteção continua a ser o distanciamento social

Permanecer em casa e colocar em prática o distanciamento social continuam a ser as melhores estratégias para proteger toda a família da COVID-19.

Especialmente no caso das crianças mais pequenas, que podem não perceber porque é que não podem ir ter com outras pessoas ou tocar em objetos e superfícies que não devem, o melhor é que saiam para locais em que estas situações sejam mais facilmente evitadas. É importante também que saiam, mas com segurança.

Crianças que se encontrem doentes, com sintomas como febre, tosse, congestionamento, corrimento nasal, diarreia ou vómitos, não devem sair de casa.