10 perguntas e respostas sobre infeções urinárias
Prevenção e bem-estar
5 mins leitura

São causadas por bactérias e os seus sintomas são muito incomodativos, como urgência em urinar e ardência ao fazê-lo. Saiba tudo sobre infeções urinárias.

Quem já teve uma infeção urinária conhece o desespero de ter de ir constantemente à casa de banho urinar e sentir um grande desconforto quando o faz. O desejo é só um: que aquela sensação desagradável passe e rápido. Se se revê neste cenário, a melhor forma de evitar as infeções urinárias é sabendo tudo sobre elas - desde o que as causa ao que pode fazer para preveni-las. Respondemos aqui a dez dúvidas essenciais sobre este problema de saúde.

 

1. O que é uma infeção urinária?

A infeção urinária é uma infeção que ocorre no sistema urinário, nomeadamente nos rins, bexiga, próstata, testículos ou na uretra. Normalmente, ocorre devido à presença de bactérias. Estes microrganismos, por norma, chegam ao sistema urinário a partir do exterior, através da uretra, ou mais raramente a partir do sangue, entrando através dos rins.

Geralmente, as bactérias que atingem as vias urinárias são removidas graças à ação das defesas do organismo e pela eliminação de urina, o que impede que cheguem a provocar infeção. No entanto, quando as bactérias não são removidas surgem os sinais e sintomas de infeção.

 

2. Quais os sintomas de uma infeção urinária?

As queixas relacionadas com a infeção urinária variam consoante a localização da infeção. Assim sendo, quando a infeção é na uretra é frequente a queixa ser de dor ou ardência ao urinar; quando a infeção é nos testículos eles apresentam-se normalmente inchados e dolorosos; quando a infeção é na bexiga é normal um desejo de urinar mais frequente, e urgente, muitas vezes de pouca quantidade de urina; quando a infeção é na próstata existem os mesmos sintomas da infeção da bexiga, sendo normal apresentar dificuldade a urinar e, por vezes, febre elevada; quando a infeção é no rim normalmente as pessoas apresentam febre, dor lombar e, ocasionalmente, náuseas e vómitos.

Além destes sinais e sintomas que nos podem indicar o local da infeção, pode aparecer alterações na cor e no cheiro da urina, dor pélvica e, por vezes, a urina apresenta sangue.

Na criança, as queixas associadas às infeções urinárias são menos específicas, podendo manifestar-se como falta de apetite, perda de peso e atraso de crescimento.

 

3. O que pode levar ao seu aparecimento?

As infeções urinárias são mais comuns nas pessoas que bebem poucos líquidos e que têm hábitos de higiene insuficientes ou inadequados.

Pode também ocorrer com mais frequência nas pessoas sexualmente ativas e nas pessoas com problemas de esvaziamento da bexiga, quer por obstrução da bexiga (por exemplo, nas pessoas que sofrem da próstata), quer devido a problemas de funcionamento da bexiga (nas pessoas com incontinência urinária ou doenças neurológicas).

Também a presença de anomalias no aparelho urinário aumenta o risco de infeção urinária, assim como o facto de os doentes estarem institucionalizados e/ou algaliados.

 

4. São mais comuns nas mulheres ou nos homens?

As infeções urinárias são mais comuns na mulher. Isto devido ao facto da uretra feminina ser mais curta e a sua abertura mais próxima da região anal, o que facilita o acesso dos microrganismos à bexiga.

 

5. As infeções urinárias são graves?

A maioria das infeções urinárias não apresenta gravidade significativa, com exceção das infeções com envolvimento do rim e da próstata, que requerem cuidados especiais.

 

6. Como é feito o diagnóstico?

Na presença de um primeiro episódio de infeção urinária numa mulher, muitas vezes, procede-se de imediato ao tratamento após avaliação médica sem se recorrer a um diagnóstico laboratorial (análises). Já no caso de infeções de repetição, nas infeções em crianças, nos homens e em doentes hospitalizados deve-se identificar o microrganismo responsável pela infeção urinárias bem como as possíveis causas que podem ter dado origem à infeção.

 

7. Que tipo de informação é que as análises laboratoriais permitem obter?

As análises laboratoriais podem ser efetuadas ao sangue é à urina. Enquanto as primeiras permitem perceber a gravidade da infeção, as que são feitas à urina permitem saber se existe infeção (nitritos na tira teste) e qual o microrganismo responsável pela infeção (bacteriológico de urina), permitindo escolher o antibiótico mais adequado.

 

8. São utilizadas outras técnicas de diagnóstico?

Se se tratarem de infeções urinárias de repetição, poderá ser necessário, além do diagnóstico laboratorial, recorrer a técnicas de diagnóstico como a ecografia, tomografia computorizada ou ressonância magnética, entre outras.

 

9. Em que consiste o tratamento das infeções urinárias?

O tratamento é dividido em duas etapas. Primeiro, trata-se a infeção atual, utilizando o antibiótico mais adequado. Depois, tenta-se prevenir o seu aparecimento, recomendando o aumento da ingestão de líquidos, de forma a urinar mais vezes, e incutindo a necessidade de efetuar os cuidados corretos de higiene íntima.

 

10. As infeções urinárias no homem devem ser avaliadas e tratadas de forma específica?

No homem, as infeções urinárias são menos frequentes, pelo que é recomendável identificar sempre o microrganismo que causa a infeção e perceber se existem alterações que podem predispor a ter mais infeções (presença de cálculos renais, próstatas a prejudicar o normal funcionamento da bexiga).

Por outro lado, por norma, nos homens é pouco frequente existir uma infeção da bexiga. Os homens que têm queixas de infeção urinária da bexiga, e que de facto têm uma infeção, devem ser tratados como se existisse uma infeção da próstata, o que obriga a um tratamento mais prolongado.

 

Sabia que...

A infeção urinária tem nomes diferentes consoantes o local onde aparece: uma infeção na uretra chama-se uretrite; uma infeção nos testículos é uma orquites; uma infeção na próstata chama-se prostatite, uma infeção na bexiga tem o nome de cistite e uma infeção dos rins denomina-se pielonefrite.