Rinite

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

É uma das causas frequentes de obstrução nasal. Deve-se a um processo inflamatório da mucosa nasal e por conseguinte da diminuição da área de passagem do ar. Constitui uma patologia muito frequente na população.

Os sintomas típicos são:

  • Espirros frequentes
  • Comichão no nariz ou garganta
  • Corrimento nasal ou pingo no nariz
  • Congestão nasal ou nariz entupido

Estes podem ser intermitentes ou persistentes, podendo variar de ligeiros a graves. A alergia ocular ou conjuntivite alérgica está frequentemente associada à rinite alérgica.

Pode estar associada a fatores alérgicos ou não. Pode surgir apenas em determinados estacões do ano (sazonal), ou permanecer durante todo o ano (perene). Os alergénios como os ácaros, os pólenes, os fungos, os epitélios de animais, o látex, entre outros, são a causa mais frequente da rinite.

No conjunto das doenças alérgicas é, sem dúvida, a mais frequente. Porém, o seu diagnóstico é, na maioria das vezes, tardio por ser interpretada como uma infeção (constipação) comum. Em situações arrastadas e não controladas pode complicar-se com sinusite, polipose nasal, otite ou asma brônquica.

O tratamento da rinite depende do tipo e do mecanismo subjacente, nomeadamente se acausa é alérgica, infecciosa, ocupacional, hormonal.

Na rinite alérgica, a utilização de anti-histamínicos orais ou inalados, bem como corticoides intranasais, são medicamentos úteis e bem tolerados que tratam eficazmente o prurido e a produção de muco, estabilizando as manifestações alérgicas.

Os colírios também diminuem a comichão, a vermelhidão e o edema dos olhos, e são geralmente usados ​​em conjunto com outros medicamentos. 

Em situações de maior gravidade a utilização de corticóides orais em regime de curta duração permite bons resultados terapêuticos. No caso de ser possível identificar qual é o alergénio predominante que causa as queixas (ex: pólen, ácaros, pêlos de animais, etc) está indicado proceder-se à imunoterapia específica que consiste na dessensibilização gradual do sistema imunológico aos alérgenos que desencadeiam os sintomas, proporcionando um alívio prolongado.

Tem geralmente uma causa genética. No entanto, deve-se evitar os ácaros, os pólenes, os fungos, os pêlos de animais ou o látex que são a causa mais frequente da doença.

Fontes:

Medical News Today

WebMD