Refluxo laringo-faringeo

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

O refluxo laringo-faringeo é uma condição na qual o ácido produzido no estômago reflui pelo esófago até à garganta provocando alterações na mucosa.

O ácido do estômago pode subir pelo esófago até à faringe e laringe, produzindo uma lesão química da sua mucosa que, ao contrário da do esófago, não possui proteção para o mesmo. Assim, pode-se estar na presença do refluxo laringo-faringeo, sem ter os sintomas clássicos e sem haver alteração nos exames de endoscopia habitualmente realizados. 

Esta laringite de refluxo manifesta-se por rouquidão, sensação de irritação ou muco na garganta, tosse e pigarro recorrente.

Esta condição frequentemente inicia-se após uma infeção respiratória alta. A inflamação da mucosa é agravada pelo contato com o ácido que vem do estômago através do esófago.A quantidade de ácido que provoca esta irritação mucosa é pequena o que explica que muitos doentes não sentem ardor ou azia.

Os indivíduos mais propensos a desenvolver a patologia são aqueles que têm:

  • insuficiência da válvula inferior do esófago
  • problemas de digestão com esvaziamento lento do estômago
  • hérnia de hiato
  • alterações da contratilidade esofágica

Principais fatores de risco incluem:

  • Comer grandes quantidades de alimentos e excesso de peso
  • Consumo excessivo de álcool, refrigerantes, e alimentos apimentados e gordurosos
  • Fumar
  • Gravidez

Através de endoscopia ORL sendo por vezes necessários outros exames. É uma doença frequente mas subdiagnosticada, que pode dar sintomas durante meses ou anos antes de ser identificada.

Passa por modificações no estilo de vida e na dieta e tratamento farmacológico.

Para evitar esta situação, algumas medidas devem ser tomadas:

  • Evitar alimentos ácidos, condimentados e gordurosos
  • Evitar ou moderar o álcool, tabaco; e bebidas que contêm cafeína (chá, café, refrigerantes)
  • Evitar chocolate e mentol
  • Não usar roupas apertadas
  • Evitar o stress
  • Manter um peso saudável
  • Não comer duas horas antes de ir dormir
Fontes:

Cleveland Clinic

Medical NeWs Today