Epistaxis

Hemorragia nasal
O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

Epistaxis é o termo médico para a hemorragia nasal. Devido à posição do nariz no meio da face e ao elevado número de vasos sanguíneos que contem, a maioria das pessoas pode sofrer nalgum momento da vida de uma hemorragia nasal. Os sangramentos nasais são frequentemente originados ​​por trauma local, corpos estranhos, infeções e inalação de ar seco. Nas crianças as hemorragias nasais espontâneas são bastante comuns e igualmente em pessoas que tomam anticoagulantes, com  hipertensão ou alterações da coagulação. Outras causas mais raras de hemorragia nasal incluem tumores e malformações vasculares. Embora raramente seja motivo de alarme, as epistaxis podem ser fatais em casos raros.

 

O sangue proveniente do nariz desce pela face, saindo de uma narina (geralmente, apenas uma é afetada) ou escorre pela garganta se a hemorragia nasal ocorrer quando se está deitado. Os sangramentos nasais graves requerem atenção médica imediata e incluem:

  • Sangramento intenso
  • Sangramento persistente ou recorrente
  • Palpitações
  • Falta de ar
  • Empalidecimento ou desmaio

Pode ter origem em alterações inflamatórias da mucosa, traumatismo nasal, fragilidade capilar ou lesões hemorrágicas.

Os sangramentos nasais podem ser classificados como anteriores ou posteriores. Na epistaxis anterior, o sangue vem da parede entre as duas narina, na zona do nariz que contém muitos vasos sanguíneos delicados; é a mais comum e pode habitualmente ser tratada com facilidade, em casa. Nas epistaxis posterior, habitualmente há perda de sangue mais intensa que pode exigir atenção médica.

O médico observa o doente e caracteriza a hemorragia nasal, incluindo:

  • Duração da perda de sangue
  • Quantidade aproximada de sangue perdido
  • Quantas vezes o paciente teve sangramentos nasais
  • Se envolveu uma ou as duas narinas

É importante conhecer: os medicamentos que o doente está a tomar, incluindo fármacos para fluidificar o sangue ( como aspirina e outros anticoagulantes), terapêutica para constipações ou alergias, a ingestão de álcool ou qualquer uso de estupefacientes, principalmente se foram aspirados pelo nariz ( uso de cocaína , por exemplo).A observação médica para determinar a origem do sangramento e a sua causa pode implicar a utilização de um pequeno espéculo e uma luz ou um endoscópio para ver o interior nariz. Por vezes podem ser necessários exames complementares- radiografias, tomografia computadorizada ou exames de sangue.

A abordagem consiste na identificação da origem da hemorragia, o seu controlo por cauterização química ou elétrica e, caso seja necessário, tamponamento nasal. Em casos extremos é feita embolização arterial.

  • Evitar traumatizar e coçar o interior do nariz sobretudo com a introdução de unhas, lápis,etc.
  • Aplicar pomada lubrificante, especialmente em crianças cujas hemorragias nasais são atribuídas a crostas no interior das narinas.
  • Usar um humidificador em caso de permanência em  altitude elevada ou climas secos.
  • Não realizar esforços após um episódio de sangramento nasal e recorrer ao médico assistente em caso de dúvida ou sangramento nasal inexplicável ou persistente.
Fontes:

Medical News Today

Cleveland Clinic