Roncopatia

Ressonar
O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

Resulta de um som originado pela vibração do palato e das paredes da faringe. O ressonar não constitui apenas um incómodo do ponto de vista conjugal e social, mas pode também ser a fase inicial da síndroma de apneia obstrutiva do sono (SAOS), o que leva muitas pessoas a procurar ajuda médica.

Do simples ressonar à síndroma há uma variedade de situações intermédias que devem ser avaliadas e conduzem a situações de diagnóstico e tratamento específicas  para cada caso.

Consiste na emissão de ruído durante o sono, proveniente das vias aéreas superiores, sendo provocado pela vibração do palato mole sobre a língua durante a respiração.

Há diversas causas como a anatomia das vias aéreas, o grau de obesidade, a ingestão de álcool ou determinados medicamentos. A roncopatia é bastante comum na população em geral, calculando-se que mais de metade dos adultos a tenham, principalmente os do sexo masculino.

Em caso de roncopatia intensa ou suspeita de SAOS, o doente deve ser encaminhado para uma consulta especializada, onde é confirmado o diagnóstico e planeado o tratamento. São colocadas algumas questões acerca da facilidade em adormecer em situações do dia a dia. Através do exame objetivo, ou seja, dos sinais que o médico pesquisa no doente, é possível identificar as alterações anatómicas e planear um tratamento.

Depende do diagnóstico e inclui tratamentos médicos e cirúrgicos:

  • Correção das condições de base nomeadamente, alergia respiratória e rinosinusite crónica com a medicação adequada: anti-histamínicos, corticoides intranasais.
  • Aparelhos dentários de avanço mandibular.
  • CPAP (Continuous Positive Air Pressure) é um dispositivo equipado com uma máscara nasal ou nasal e bucal, que assegura uma suave pressão de ar positiva contínua ou modificada através do nariz até a garganta sempre que houver dificuldade em inalar o ar.

Existem diferentes tipos de opções cirúrgicas:

  • Amigdalectomia e adenoidectomia.
  • Uvulopalatofaringoplastia: está indicada na apneia obstrutiva do sono moderada ou grave e consiste na remoção de pregas mucosas e estruturas redundantes do palato mole que são causa de obstrução respiratória. 
  • Palatoplastia da úvula assistida por laser (LAUP): Um procedimento a laser que remove a obstrução das vias aéreas em situações de obstrução localizada. É realizado sob anestesia local e está indicada nos casos de apneia obstrutiva do sono leve.
  • Somnoplastia: Uma técnica que utiliza energia de radiofrequência para reduzir o tecido excessivo no palato, úvula e língua. Este tratamento também pode ser usado para aliviar a obstrução nasal.
  • Avanço genioglosso, hioide ou maxilomandibular: Cirurgia para apneia do sono que posiciona a língua para frente para assegurar a permeabilidade da via aérea retrolingual durante o sono.
  • Estimulação do nervo hipoglosso: Envolve a colocação de um dispositivo semelhante a um bypass cardíaco que sincroniza o movimento da língua com a respiração. Ele move suavemente a língua para a frente para impedir que a obstrução faríngea durante o sono. 
  • Septoplastia: Reduz a resistência ao fluxo de ar através do nariz.
  • Perder peso e melhorar hábitos alimentares
  • Evitar tranquilizantes, comprimidos para dormir e anti-histamínicos antes de deitar
  • Evitar o álcool ou refeições pelo menos quatro horas antes de dormir
  • Tentar manter padrões de sono regulares
  • Dormir de lado e não de costas
  • Inclinar a cabeceira da cama até 10 centímetros
  • Podem ser necessárias orientações dadas por um especialista de sono
Fontes:

Cleveland Clinic

Doenças relacionadas