Dirija-se ao atendimento permanente se...

Prevenção e bem-estar
4 mins leitura

De repente magoou-se ou não se sente bem, há uma decisão importante a tomar: marcar uma consulta com o seu médico ou dirigir-se a um atendimento permanente?

O atendimento permanente não é uma alternativa à consulta com o médico assistente. São serviços diferentes e as condições a que deve recorrer a cada um deles são distintas. Mais: quando recorre ao atendimento permanente indevidamente, corre o risco de estar a atrasar a assistência de outras pessoas que são mesmo casos urgentes.

Conheça as diferenças entre cada um destes serviços, em que casos deve mesmo dirigir-se ao serviço de atendimento permanente e que contactos deve ter sempre à mão caso precise de assistência médica rapidamente.

 

Consulta ou atendimento permanente: as diferenças

  • Atendimento permanente: é a solução mais indicada para quem necessita de assistência médica e tratamento rapidamente. O atendimento nestes serviços é feito consoante a gravidade da situação de cada doente, determinada pelos parâmetros do Protocolo da Triagem de Manchester. Por isso, não se surpreenda se uma pessoa que chegou depois de si for atendida em primeiro lugar: significa que o caso dessa pessoa era mais grave. Este serviço tem um horário de funcionamento mais alargado.

 

  • Consulta: o seu médico assistente deve ser o seu primeiro recurso para situações médicas não urgentes ou preventivas - desde recomendações sobre vacinação, diagnóstico e tratamento de doenças, como diabetes, pressão arterial elevada, aconselhamento mental, a prescrição de exames e medicamentos. Este especialista pode tratar de problemas de saúde no geral e é normalmente quem faz a ponte entre outros médicos de diferentes especialidades, como cardiologistas ou reumatologistas, que possa necessitar de consultar. As consultas com o seu médico assistente ocorrem durante o horário de funcionamento do hospital ou clínica CUF escolhido, através de marcação.

 

Atenção!

É motivo para se dirigir a um serviço de urgência ou ligar para um serviço médico de emergência em caso de:

  • Sufocamento ou paragem respiratória
  • Ferimento na cabeça, desmaio ou confusão mental
  • Ferimento no pescoço ou coluna
  • Perda de sensibilidade numa parte do corpo ou incapacidade de movimento
  • Se sofreu um choque elétrico ou foi atingido por um raio
  • Queimadura severa
  • Dor ou pressão forte no peito ou dor que se estende ao braço ou maxilar
  • Mal estar súbito e inexplicável
  • Convulsões

 

Dirija-se ao atendimento permanente no caso de:

  • Dificuldade respiratória
  • Desmaio
  • Dor de cabeça fora do normal ou forte, especialmente se tiver surgido repentinamente
  • Incapacidade súbita de falar, ver, caminhar ou movimentar-se
  • Tonturas ou fraqueza que não desaparecem
  • Inalação de fumo ou vapores tóxicos
  • Confusão súbita
  • Hemorragia forte
  • Suspeita de osso partido ou perda de movimento
  • Ferida funda
  • Tossir ou vomitar sangue
  • Dor severa em qualquer parte do corpo
  • Reação alérgica grave, com dificuldade respiratória, inchaço ou urticária
  • Febre alta com dor de cabeça e rigidez no pescoço
  • Febre alta que não melhora com a medicação
  • Vómitos e diarreia que não passam
  • Envenenamento ou overdose de álcool ou drogas

 

Não tem a certeza do que deve fazer?

Se não tem nenhum dos sintomas ou problemas referidos acima e não tem a certeza a que tipo de serviço deve recorrer, contacte o seu médico assistente ou um serviço de apoio telefónico. Descreva os sintomas e peça ajuda para orientar o seu próximo passo.

 

Se é caso para consulta com o seu médico assistente…

Para que esteja preparado e tire o máximo partido do tempo que passa no consultório do seu médico assistente, há algumas estratégias que pode adotar antes da consulta:

  • Tire notas acerca dos sintomas que está a sentir: quando ocorreram, quanto tempo duraram e o que estava a fazer antes de ocorrerem.
  • Faça uma lista de questões que quer esclarecer, começando pela mais importante.
  • Conheça o o seu histórico médico individual e familiar pormenorizado; pergunte à sua família se não souber ou em caso de dúvida.
  • Anote toda a medicação (até suplementos vitamínicos ou medicamentos naturais) que está a tomar e a respetiva dose.
  • Leve consigo resultados de exames recentes.

 

Em caso de S.O.S., esteja sempre preparado

Guarde no seu telemóvel ou agenda telefónica os contactos do seu médico assistente, do atendimento permanente mais próximo da sua morada, de um serviço de apoio telefónico e também de um familiar ou amigo.

Atendimento Permanente CUF

Consulte o tempo de espera e outras informações sobre o serviço