Crescimento e Puberdade

Bebés e crianças
5 mins leitura

A Organização Mundial de Saúde (OMS) adota o critério cronológico para definir a adolescência como o período entre os 10 e os 19 anos.

A adolescência é um período de transição entre a infância e a idade adulta, com características únicas no ciclo de vida, no qual ocorre um grande leque de transformações tanto a nível biológico, como a nível cognitivo e psicossocial.

A adolescência é habitualmente dividida em três fases que ajudam a entender e saber o que esperar nos vários níveis de transformação: A adolescência precoce entre os 10 e os 13 anos, a adolescência média entre os 14 e os 16 anos e a adolescência tardia a partir dos 17 anos. Estes intervalos etários não são estanques e há desvios frequentes e significativos na forma como cada jovem percorre a adolescência, mas todos passam por estas fases embora com ritmos variáveis.

 

As principais mudanças

A adolescência precoce caracteriza-se pelo aparecimento dos caracteres sexuais secundários e pelo aumento da velocidade de crescimento. Na adolescência média as adolescentes já tiveram a primeira menstruação (menarca) e dá-se a maturação dos órgãos reprodutores. Na adolescência tardia a puberdade está completa, os caracteres sexuais secundários são semelhantes aos do adulto.

As transformações de ordem biológica, comandadas pela puberdade que irá influenciar o surto de crescimento e as diversas transformações a nível do corpo, acompanham-se de modificações na composição corporal, que vão introduzir diferenças entre géneros, nomeadamente o aumento da percentagem de massa gorda na rapariga, a par com o alargamento da bacia, e a diminuição da percentagem de massa gorda no rapaz, em que há, em contrapartida, um aumento mais marcado da massa muscular.

O crescimento durante a puberdade contribui para cerca de 20% da altura final do adulto. Durante o surto de maior crescimento, que dura cerca de 2-3 anos, os rapazes crescem em média cerca de 10,3 cm e as raparigas cerca de 9 cm por ano.

Durante o surto de crescimento, também há um surto de aumento do peso, que contribui para cerca de 50% do peso corporal ideal do adulto. No rapaz o pico da velocidade do aumento do peso coincide com o pico da velocidade do crescimento, enquanto na rapariga ocorre 6-9 meses depois. O início do aumento e a velocidade no pico deste surto são no entanto muito variáveis.

Durante a puberdade é fundamental correlacionar o crescimento e o desenvolvimento com o grau de maturidade sexual do adolescente, cuja classificação se baseia na avaliação da mama (na rapariga), dos genitais (no rapaz) e da pilosidade púbica (em ambos). Esta avaliação dos caracteres sexuais permite a classificação do desenvolvimento pubertário em cinco estadios - classificação de Tanner, presentes na tabela:

 

Estadio

Mama (M)

Genitais (G)

Pilosidade púbica (P)

1

aspeto infantil

aspeto infantil

sem pilosidade

2

botão mamário (tecido glandular)

escroto aumenta e

pele mais avermelhada

testículos 4-8ml

pouco pelo, pouco pigmentado, liso ou pouco encaracolado

3

mama e areola aumentam

escroto aumenta

pénis aumenta (+ comprimento)

pelo mais grosso, mais escuro, mais encaracolado e em maior quantidade

4

maior aumento da mama

areola saliente no contorno da mama

escroto maior e pele escurecida

testículos 15-20ml

pénis aumenta (+ diâmetro)

semelhante adulto

não atinge face interna coxas

5

aspeto adulto

aspeto adulto

aspeto adulto

estende-se além face interna coxas

 

 

O primeiro sinal de desenvolvimento pubertário na rapariga é o botão mamário e no rapaz o aumento da dimensão testicular (volume igual ou superior a 4ml).

No rapaz o desenvolvimento pubertário inicia-se em média aos 11 anos e em média completa-se em três anos (mas pode variar entre 2-5 anos). Na rapariga o desenvolvimento pubertário tem vindo a iniciar-se mais cedo nos países desenvolvidos, em média aos 9 anos. A puberdade em média fica completa em quatro anos (mas pode variar entre 1,5-8 anos).

 

Puberdade precoce ou tardia

Por vezes o desenvolvimento do adolescente não ocorre dentro do esperado para a normalidade, e ele não é tão sexualmente desenvolvido ou é muito mais baixo do que os seus pares por exemplo, sendo fonte de grande preocupação e angústia quer para o adolescente quer para os seus pais.

A causa mais frequente do atraso da maturação no adolescente é, em 90% dos casos, o atraso constitucional, contudo é importante considerar outras causas, que podem ser temporárias, como doenças crónicas e nutricionais e alterações hormonais, ou situações permanentes como doenças congénitas ou tumores. É fundamental na avaliação do adolescente ter em conta o seu contexto familiar, nomeadamente, o desenvolvimento e o crescimento dos seus pais, pois por exemplo pode já existir na família uma história de atraso constitucional da puberdade.

Considera-se puberdade precoce o desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários antes dos oito anos na rapariga e dos nove anos no rapaz, sendo uma situação muito mais frequente (cerca de 10 vezes mais) na rapariga.

A avaliação do adolescente com puberdade precoce ou tardia, inclui além do exame físico, a realização de exames complementares, nomeadamente, análises que podem incluir testes hormonais, e radiológicos como a radiografia para determinação da idade óssea, entre outros.