Aprenda a tratar a crosta láctea

Bebés e crianças
Pele, unhas e cabelo
3 mins leitura

A crosta láctea é uma condição bastante comum em recém-nascidos e surge habitualmente no couro cabeludo. Saiba o que é e que formas de tratamento existem.

A crosta láctea - ou dermatite seborreica - é uma condição muito comum da pele dos bebés e caracteriza-se pela presença de crostas escamosas ou oleosas, de cor amarelada, no couro cabeludo do bebé. A crosta láctea afeta, sobretudo, a cabeça, mas também pode surgir em zonas como as sobrancelhas ou as orelhas.

As crostas podem descamar, tornando a pele vermelha, e o cabelo do bebé poderá cair juntamente com as crostas, voltando a crescer mais tarde. No entanto, esta condição não causa comichão nem qualquer incómodo ao bebé. A crosta láctea não é contagiosa e desaparece naturalmente até cerca dos seis meses.

 

Sabia que...

Sete em cada dez bebés têm crosta láctea durante as primeiras duas a seis semanas após o nascimento.

 

Quais são os sinais da crosta láctea?

A crosta láctea caracteriza-se por:

  • Crostas brancas ou amareladas no couro cabeludo
  • Pele oleosa ou seca a descamar
  • Leve vermelhidão
  • Alteração na cor do couro cabeludo
  • Queda de cabelo

 

Apesar de ser mais comum na cabeça, as crostas também podem aparecer nas orelhas, pálpebras, nariz, sobrancelhas, virilhas e axilas.

 

O que causa a crosta láctea?

Ainda não se sabe exatamente qual é a causa desta condição de pele. Contudo, pensa-se que possa estar relacionada com hormonas que são passadas da mãe para o bebé, antes do nascimento. Essas hormonas fazem com que as glândulas sebáceas do recém-nascido produzam mais gordura do que o necessário. Este excesso de óleo faz com que as células da pele, que, em condições normais, descamam naturalmente, fiquem agarradas ao couro cabeludo do bebé.

Outra possível causa é a Malassezia furfur, um fungo que existe naturalmente na pele e que é lipofílico, ou seja, tem afinidade química com gordura.

 

Que formas de tratamento existem?

Por norma, a crosta láctea não necessita de tratamento, já que desaparece naturalmente ao fim de algumas semanas ou meses. Contudo, há algumas medidas que pode tomar:

  • Lavar o couro cabeludo do bebé com um champô suave para ajudar a libertar as crostas
  • Pentear o cabelo do bebé com uma escova ou pente suave
  • Aplicar um emoliente e massajar suavemente

 

Nos casos mais persistentes de crosta láctea, o médico pediatra poderá receitar medicamentos contendo corticoide ou antifúngico.

 

Em que situações se deve consultar um médico?

A crosta láctea é uma condição temporária e, por norma, não é necessário acompanhamento médico. No entanto, o bebé deve ser observado por um pediatra sempre que:

  • A zona afetada não melhore
  • A crosta láctea se alastre a outras zonas do corpo
  • As crostas comecem a sangrar ou libertar fluido
  • A zona afetada inche
  • Surjam bolhas de água ou borbulhas

 

É possível prevenir a crosta láctea?

Não é possível prevenir o aparecimento inicial da crosta láctea. Contudo, assim que as crostas desaparecem e o couro cabeludo do bebé retorna ao seu estado normal, o uso de produtos dermatologicamente testados e adequados para os bébes pode ajudar a prevenir o reaparecimento da crosta láctea.

Fontes:

Cleveland Clinic, junho de 2022

Mayo Clinic, junho de 2022

NHS, junho de 2022

Seattle Children’s, junho de 2022

WebMD, junho de 2022

Publicado a 30/08/2022
Doenças