Alimentação no 1º ano de vida

Para que o bebé tenha um crescimento saudável é necessário que a sua alimentação seja equilibrada. Falamos-lhe desta alimentação e da evolução no seu 1º ano.

Leite materno

O alimento ideal para o recém-nascido e lactente (criança até aos 12 meses de idade), é o leite materno, sendo recomendável o aleitamento materno exclusivo durante os primeiros 6 meses de vida.

É ainda desejável que o aleitamento materno prossiga durante o processo de diversificação alimentar, ou seja, durante a introdução de novos alimentos sólidos, desde que possível e desejado pela mãe e bebé.

 

Leites e fórmulas para lactentes

Quando não é possível manter o leite materno como única fonte láctea, existem as fórmulas infantis, que ao longo dos anos têm sido alvo de elevado investimento científico no seu aperfeiçoamento, no sentido da sua maior aproximação nutricional ao leite humano de modo a promover um perfil de crescimento e composição corporal o mais semelhante possível ao do lactente alimentado com leite materno.

Os leites para lactentes são elaborados a partir do leite de vaca e existem no mercado diversas alternativas, devendo os pais consultar o seu médico assistente na escolha do melhor leite para o seu bebé.

 

Preparação dos biberões

  • Verificar a data de validade da lata; após aberta a lata deve ser mantida bem fechada e consumida no prazo máximo de um mês
  • Lavar bem as mãos antes de preparar o biberão
  • Utilizar água fervida (durante 5 minutos) ou águas indicadas na preparação de alimentos para lactentes, seguindo as instruções de conservação indicadas na embalagem
  • Colocar o volume de água necessário (morna) no biberão e verificar a graduação
  • Adicionar as medidas de leite em pó, respeitando a proporção indicada (1 medida rasa de pó / 30ml de água), agitando com movimentos circulares até a completa dissolução
  • Verificar a temperatura do biberão colocando uma gota de leite no pulso ou dorso da mão (deve estar morno e não quente)
  • Se for necessário aquecer o leite, deverá fazê-lo em banho-maria ou dispositivos especialmente concebidos para este efeito (aquecedores de biberões)
  • O leite preparado deve ser consumido de imediato ou no máximo no período de 1h após a sua preparação

 

Erros comuns na preparação dos biberões

  • Colocar primeiro o pó e depois a água
  • "Meias" medidas - o biberão deve ser sempre preparado respeitando a regra: 1 medida rasa de pó / 30ml de água
  • Calcar o pó na colher de medida - aumenta a concentração dos biberões
  • Reaproveitar ou reaquecer o leite que sobrou para a refeição seguinte - o leite preparado deve ser consumido de imediato
  • Aquecer ou ferver o leite já preparado no micro-ondas - pode destruir nutrientes essenciais

 

Limpeza dos biberões

  • No primeiro mês de vida, se possível, os biberões e tetinas deverão ser esterilizados após cada utilização
  • Após o 1º mês de vida, os biberões e tetinas devem ser lavados após a sua utilização com água quente, detergente e um escovilhão próprio, de modo a eliminar resíduos de leite. Passar abundantemente por água no final
  • Depois de secos deverão ser guardados em local limpo e seco, com a respetiva tampa

 

 

Diversificação alimentar

Lembrando que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde é o aleitamento materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida, não sendo isto possível, pode iniciar-se a introdução de novos alimentos entre os 4 e os 6 meses de idade, devendo ser sempre iniciada depois dos 4 meses e o mais próximo possível dos 6 meses. É consensual que a partir dos 4 meses de idade o bebé saudável está preparado para a deglutição e digestão de outros alimentos que não apenas leite, sendo esta diversificação necessária para o manter o suprimento nutricional (calorias, proteínas e ferro) adequado ao crescimento do bebé. Contudo devemos ter sempre em conta a maturidade neuromotora de cada bebé.

 

A diversificação alimentar deve ser feita de forma gradual e com tranquilidade, respeitando o ritmo do bebé, fazendo a transição de uma alimentação exclusivamente láctea para a alimentação familiar. Este processo de adaptação aos alimentos sólidos depende dos hábitos alimentares da família mas existem algumas regras que deverão ser respeitadas:

  • O início da alimentação complementar deverá ser entre os 4 e os 6 meses de idade
  • O período ideal para introdução do glúten na dieta é entre os 4 meses e os 12 meses de idade, sendo benéfica uma introdução progressiva
  • O leite de vaca em natureza não deve ser introduzido antes dos 12 meses de idade
  • A dieta não deverá ter sal nem açúcar adicionados
  • Alimentos a evitar: sumos de fruta e bebidas açucaradas, mel, funcho e bebidas de arroz
  • Em relação ao método de alimentação, alimentação por colher ou alimentação autónoma, não existe ainda evidência científica suficiente que recomende um em detrimento do outro, devendo os pais tentar perceber os sinais de fome e saciedade do seu bebé

 

Sopa

A primeira sopa do bebé deverá ser um puré simples, consistente, começando por 2-3 legumes entre os quais um de folha verde, e ir introduzindo um legume diferente a cada 3-4 dias.

A sopa deverá ter 3 a 4 legumes diferentes, sem sal adicionado e com um fio de azeite adicionado após a cozedura.

Deve ser dada com colher.

 

Papa

A papa pode ser introduzida a partir dos 4 meses. Deve ser dada com colher.

 

Carne

Pode ser introduzida após os 5-6 meses, em pequenas quantidades. Inicialmente preferir carnes brancas (galinha, peru, frango, coelho) e depois as vermelhas (borrego, vaca).

 

Peixe

O peixe deverá ser introduzido cerca dos 5-6 meses de idade. Preferir inicialmente peixes magros (pescada, maruca, linguado) e mais tarde, a partir dos 10-11 meses, introduzir outros, como salmão, garoupa, corvina.

 

Fruta

A fruta deverá ser fresca, e de preferência oferecida crua e ralada, no final da refeição ou juntamente com iogurte. Não deverá isoladamente constituir uma refeição.

 

Iogurte

A partir dos 8 meses poderá iniciar-se o iogurte em substituição de uma refeição láctea. Deverá ser iogurte natural sem aroma, sem adicionar açúcar.

 

Ovo

A gema de ovo deverá ser introduzida a partir dos 9 meses de idade, numa refeição de sopa, em substituição da carne ou peixe. Deve começar-se por adicionar meia gema à sopa uma vez por semana, e só depois a gema inteira. Ovo inteiro (gema e clara) poderá ser introduzido após a introdução da gema inteira.

 

Alimentação sólida

A partir dos 8-9 meses deve começar a introduzir-se alimentos de consistência mais sólida, para treino da mastigação. Ter em atenção que nem todos os bebés aceitam alimentos sólidos na mesma fase, e que deverá respeitar-se o ritmo de cada um. Poderá começar-se por deixar a sopa com uma consistência menos homogénea, transitando então para os alimentos sólidos.

 

Após o início da alimentação complementar deverá ser oferecida água no intervalo das refeições.

 

Para facilitar a adaptação de cada criança, deve aumentar-se progressivamente o número de refeições não lácteas por dia, e introduzir alimentos novos de modo gradual, respeitando um intervalo de cerca de 2 dias entre novos alimentos.

 
 

Atualizado a 22/03/2021

Publicado a 12/03/2019