O papel da Anatomia Patológica

O papel da Anatomia Patológica
Rapidez e precisão no diagnóstico de cancro

Obter um diagnóstico completo, rápido e preciso é fundamental para a escolha e decisão sobre o seu plano de tratamento.

 

A Anatomia Patológica desempenha um papel fundamental nos hospitais e clínicas CUF, participando no diagnóstico, prognóstico, orientação terapêutica e caracterização do risco relativo de diversas doenças médicas e cirúrgicas.

Os resultados são assegurados pelo laboratório centralizado de Anatomia Patológica, que desde 2004 é portador de uma Certificação de Qualidade e um dos maiores laboratórios do país.

A Anatomia Patológica, no Hospital CUF Descobertas, detém Idoneidade Formativa, ou seja, tem uma organização e o número de casos  suficientes para que os médicos se possam formar nesta especialidade.

Precisão e rapidez

A precisão e rapidez na elaboração de um relatório de Anatomia Patológica só é possível com equipas experientes, subespecializadas por patologias e apoiadas em tecnologia de última geração. 

A equipa do serviço de Anatomia Patológica da CUF, conta com a experiência e especialização de mais  60 profissionais que analisam milhares de exames (peças, biopsias, citologias) por ano, realizados na rede CUF.

tecnica faz observação ao microscópio de amostra de tumor

Os anatomopatologistas também participam e intervêm no seguimento dos doentes, na orientação terapêutica e na monitorização da resposta à mesma.

Hoje em dia é possível prever quais os doentes que vão responder a determinada terapêutica. Na abordagem neoadjuvante (tratamento com fármacos antes da cirurgia), a Anatomia Patológica faz uma avaliação da resposta do doente a essa terapêutica, o que dá uma indicação do seu prognóstico. Se o doente respondeu bem, provavelmente terá um prognóstico favorável e responderá bem aos tratamentos seguintes

Conheça os nossos especialistas

Os nossos especialistas em Anatomia Patológica observam cerca de 90 000 exames por ano.

Icons/Base/S/Bas-006 Created with Sketch.

Recolher uma amostra de tecido

Para a maioria dos tipos de cancro, o exame anatomopatológico mais comum é a biopsia e é a única forma de confirmar a presença de células cancerígenas  e  de fornecer um diagnóstico. Obter uma amostra de tecido é essencial para o diagnóstico, mas também para a realização de testes genéticos, tornando a medicina do cancro cada vez mais personalizada. 

Os tipos mais comuns de amostras são:

  • Citologia aspirativa, com a qual apenas é colhida uma amostra de tecido
  • Biopsia, com a qual também é colhida uma amostra de tecido
  • Peça cirurgica, onde é recolhido todo ou parte do órgão afetado

 

Depois da colheita do tecido, a amostra vai ser analisada por um médico de Anatomia Patológica que verifica  a aparência das células ao microscópio e determina se o tecido que foi removido é benigno (não cancerígeno) ou maligno (cancerígeno). O anatomopatologista pode realizar testes adicionais à amostra para caracterizar melhor o tipo de cancro e a sua agressividade, por exemplo, qual a probabilidade de as suas células se espalharem para outras partes do corpo.

Em oncologia, este diagnóstico laboratorial é particularmente importante, pois não se aplicam tratamentos, sejam cirúrgicos ou farmacológicos, sem haver uma confirmação do diagnóstico clínico.

Exames realizados no âmbito da Anatomia Patológica

  • análise histológica (estudo dos tecidos) de biopsias e peças cirurgicas
  • citologia esfoliativa e aspirativa
  • exames extemporâneos
  • imunohistoquímica
  • imunofluorescência
  • biologia molecular

Sequenciação Genómica

As novas tecnologias de sequenciação genómica (NGS) vieram possibilitar maior precisão no diagnóstico e orientação terapêutica, permitindo classificar melhor os tumores malignos ao identificar mutações ou alterações genéticas específicas que impulsionam o crescimento do tumor ou condicionam a sua resposta a terapêuticas.

Actualmente é assim possível identificar para cada doente quais as terapias disponíveis ou ensaios clínicos que mais o beneficiem. A CUF Oncologia estabeleceu parcerias com com entidades especializadas e com muita experiência na realização deste tipo de testes.

Precisa de ajuda?
Fale connosco

Contacte um dos nossos Gestores Oncológicos para o guiar e acompanhar desde o primeiro momento. Se preferir pode agendar uma consulta através da nossa linha gratuita.

Segundas Opiniões

Na CUF Oncologia acreditamos que todos os doentes devem ter direito a segundas opiniões.

Podem ser solicitadas diretamente no nosso serviço, para uma reavaliação, tanto para doentes da rede CUF, como externos.

A nossa prática é reavaliar as amostras vindas do exterior o que aumenta a segurança no diagnóstico.

 

Serviço de Anatomia Patológica da CUF

Hospital CUF Descobertas, Ed. 1, Piso 0

Rua Mário Botas (Parque das Nações)
1998-018 Lisboa

Os nossos números, a nossa experiência
+ 94 MIL
exames observados /ano
48h
para um diagnóstico
64
profissionais dedicados
O papel da Imagem
Melhor tecnologia, mais segurança no diagnóstico
A importância da imagem no diagnóstico

Os exames por imagem são complementares à observação ao microscópio e à observação clínica em consulta para a determinação de um diagnóstico seguro e preciso.