Tonturas

O que são?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

Trata-se de um termo utilizado para descrever diversos sintomas, em que se inclui fraqueza, desequilíbrio, cabeça atordoada, vertigens ou sensação de desmaio. No caso da vertigem, ocorre a particularidade do paciente sentir que ele ou o meio onde se encontra estarem a rodar ou a mover-se.

As tonturas são um dos motivos mais comuns de consulta médica, embora raramente traduzam uma doença grave.

As suas manifestações mais comuns são a falsa sensação de movimento ou de rotação (vertigem), perceção de desmaio, perda de equilíbrio ou instabilidade, cabeça pesada ou um estado de flutuação.

Estes sintomas podem ser causados por múltiplas condições médicas que interferem com os sinais provenientes do cérebro. As tonturas aumentam o risco de quedas e acidentes que podem ser fatais. Por outro lado, se a doença de base não for devidamente tratada e diagnosticada, podem correr outras complicações a longo prazo.

As sensações associadas às tonturas, a identificação dos fatores que as desencadeiam e a sua duração fornecem algumas pistas sobre as suas possíveis causas.

As vertigens resultam de uma alteração súbita ou temporária da atividade das estruturas situadas no ouvido interno ou a nível cerebral. Esses mecanismos detetam os movimentos e as alterações na posição da cabeça. Se o paciente estiver sentado ou a andar as vertigens tendem a agravar-se. Quando são acentuadas podem associar-se a náuseas, vómitos e desequilíbrio. As causas mais comuns são as inflamações do ouvido interno, a doença de Ménière, a enxaqueca, tumores do nervo acústico ou, mais raramente, um acidente vascular cerebral, hemorragia cerebral ou esclerose múltipla.

A sensação de tontura ou de fraqueza sem perda de consciência pode associar-se a náuseas e palidez e pode resultar de hipotensão arterial ou doença cardíaca (cardiopatia, arritmia, entre outras).

A perda de equilíbrio corresponde à instabilidade sentida durante a marcha e pode resultar de alterações do ouvido interno, perturbações da visão, lesões dos nervos dos membros inferiores, alterações articulares, musculares ou neurológicas, ou de medicamentos como antiepiléticos, sedativos e tranquilizantes.

Existem outras sensações mais difíceis de descrever e que se podem enquadrar na definição de tonturas. As suas origens são diversas e podem incluir alterações do ouvido interno, medicação, ansiedade, anemia, hipoglicemia, otites, desidratação ou excesso de calor.

A idade superior a 65 anos e a existência de antecedentes de tonturas são fatores de risco a considerar.

O seu diagnóstico inicia-se pela observação médica, existindo diversos meios auxiliares que podem ser úteis. A ressonância magnética pode ser importante, bem como uma avaliação neurológica, oftalmológica e otorrinolaringológica.

O tratamento depende da causa e dos sintomas associados. Pode passar pela realização de manobras que incidem sobre a posição da cabeça, pelo controlo de doenças do ouvido interno, pela abordagem da doença de Ménière, das enxaquecas ou da ansiedade. Considerando as suas várias origens, a terapêutica tem de ser individualizada e, com frequência, multidisciplinar.

Não é possível preveni-las. O importante é quando estas ocorrem, identificar precocemente a sua causa e tratá-las.

Fontes

Mayo Foundation for Medical Education and Research, Setembro de 2012
NHS Choices, 2014


U.S. National Library of Medicine, Abril de 2013

Doenças relacionadas