Radiculopatia Cervical

O que é?
Causas
Diagnóstico
Tratamento

As raízes dos nervos cervicais de C1 a C8, saem da coluna acima da vértebra com o mesmo número com excepção de C8 que sai da coluna cervical abaixo da vértebra C7. Os nervos depois dividem-se para inervar todos os músculos do ombro, braço, antebraço e mão dando-lhes função motora e sensibilidade.

Quando algum destes nervos é sujeito a um processo irritativo através de compressão ou inflamação, os sintomas de formigueiros, dor e diminuição da sensibilidade e diminuição da força muscular no trajeto e no território da inervação dessa raiz surgem com maior ou menor intensidade

A sintomatologia da radiculopatia cervical pode surgir de uma forma intermitente no início, com altos e baixos, mas também pode surgir de forma mais ou menos súbita. A dor pode ser sentida num local só (dor no ombro ou no cotovelo) ou segundo um trajeto irradiado distalmente até a mão e dedos. Estes sintomas podem afetar a força de preensão, bem como podem alterar o tipo de caligrafia. Durante estas fases de dor mais intensa, a mobilidade da coluna cervical está muito diminuída pelo risco de agravamento da dor local ou irradiada.

Alguns doentes sentem melhoria da dor na posição de deitado com o braço elevado e a mão atrás da cabeça, porque de uma forma indireta diminui a tensão na raiz inflamada

Qualquer situação que comprima ou cause irritação da raiz nervosa pode causar radiculopatia cervical. As causas mais comuns são :

  • Hérnia de disco Cervical. Se  o material interior do disco intervetebral contacta com a raiz nervosa (por rotura do anel fibroso da periferia do disco), ele causa irritação , inflamação e compressão do nervo em, questão com toda a sintomatologia descrita. Num indivíduo adulto jovem esta é talvez a principal causa de radiculopatia cervical.
  • Estenose(aperto) do canal Cervical. Como parte do processo degenerativo da coluna cervical, as alterações de “desgaste” das articulações interapofisarias posteriores podem contribuir para a diminuição do espaço disponível para as estruturas neurológicas dentro do canal cervical e assim causar o aperto das várias raízes cervicais e da própria medula espinhal. Esta é a razão pela qual este tipo de sintomatologia é mais frequente nos doentes com mais de 60 anos.
  • Doença Degenerativa dos discos cervicais. Quando um disco na coluna cervical evoluiu no processo de degenerescência, o disco torna-se mais estreito, e obviamente menos móvel (mais rígido) e com sobrecarga das articulações interapofisarias posteriores, facto esse que explica muitas vezes a dor reflexa na região das omoplatas ou dos trapézios na base posterior do pescoço associado muitas vezes a dificuldade em suportar o peso da cabeça. O estreitamento dos discos cervicais vai condicionar também um estreitamento dos foramina (orifícios por onde os nervos cervicais saem da coluna). Nestas situações é frequente a inflamação e irritação de um nervo cervical pelo que esta causa de radiculopatia é mais comum nos doentes com mais de 50 anos.

Se a sintomatologia não regride com a terapêutica sintomática do início, o médico deve pedir exames de imagem – RX estáticos e dinâmicos + Ressonância Magnética e uma tomografia axial computorizada. Em alguns casos para esclarecimento da raiz nervosa envolvida no processo deve-se pedir uma Eletromiograma (EMG).

O tratamento conservador deve sempre ser tentado de início através de medicação, calor húmido e imobilização com colar cervical na fase aguda. Se, no entanto a sintomatologia persistir após as 6 a 12 semanas então o tratamento cirúrgico deve ser ponderado. No entanto se a dor intensa persistir ou se os sinais neurológicos como por exemplo a diminuição da força muscular se agravar então a cirurgia deve ser considerada com a alternativa de tratamento.

No entanto a grande maioria das radiculopatias cervicais resolvem sem cirurgia. Tipos de tratamento cirúrgico mais frequentes:

  • Discectomia cervical anterior e fusão intersomática. É talvez o tipo de cirurgia mais comum – ver informação adicional de Artrodese anterior da Coluna cervical
  • Artroplastia de disco cervical. Como alternativa à fusão/artrodése intersomatica surgiu nestas últimas décadas a possibilidade de substituir o disco rasgado com a hérnia por um disco artificial – ver informação adicional – artroplastia de disco cervical.

A cirurgia cervical para diminuir a dor irradiada ou a diminuição da força no Membro Superior tem uma taxa de sucesso que segundo a literatura pode rondar os 80 a 90%. No entanto como qualquer cirurgia, a cirurgia da coluna cervical tem riscos que devem ser partilhados com o doente na conversa prévia à cirurgia bem como deve ser estimado o resultado da cirurgia proposta.