O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

Otite é uma infeção de causa viral ou bacteriana no ouvido, geralmente causadora de dor, inflamação e acumulação de líquido. Cerca de 75% das crianças têm pelo menos uma otite antes dos três anos de idade. E elas são a razão mais comum para serem vistas por um médico. Estas infeções são também conhecidas por otite média secretora, inflamação do ouvido médio ou otite média serosa.

As otites dividem-se em externa e média aguda. A primeira é provocada habitualmente pela entrada de água no ouvido, associada a quadro clínico predominante e intenso de otalgia. Ocorre frequentemente em situações de infeção de eczema do canal auditivo externo (CAE). É também conhecida por otite do surfista. A segunda corresponde a um processo inflamatório/infecioso da cavidade do ouvido médio e tímpano. Este tipo de é mais frequente nas crianças, associado a quadros de obstrução nasal e rinorreia. Apresenta uma sintomatologia que varia desde a sensação de ouvido tapado a otalgia intensa.

Nos adultos, os sintomas mais habituais são dor, pressão, fluido no ouvido e diminuição da audição; nas crianças outros sinais incluem:

  • Dor de ouvido, principalmente quando estão deitadas
  • Dificuldade em dormir
  • Choro superior ao normal
  • Dificuldades de audição
  • Febre
  • Falta de apetite
  • Dor de cabeça

Geralmente decorrente de infeção respiratória superior como uma constipação, gripe ou resposta alérgica. Estes quadros aumentam o muco nos seios nasais, e levam à lenta libertação de líquido para as trompas de Eustáquio (TE). As trompas de Eustáquio ligam o ouvido médio à parte posterior da garganta, regulam a pressão no ouvido médio, e drenam as secreções normais. Uma infeção respiratória ou alergia pode bloquear as TE, causando um aumento de líquidos no ouvido médio, ocorrendo otite se este líquido for infetado por bactérias.
Nas crianças, as TE são mais pequenas e mais horizontais do que nos adultos. pelo que é mais provável que o líquido se acumule, em vez de fluir, aumentando o risco de otite. Os adenóides e as amígdalas podem por vezes acumular bactérias, o que leva à infeção e inflamação das TE e do ouvido médio.

Geralmente é possível fazer o diagnóstico apenas com base nos sintomas e na observação do ouvido com um otoscópio (instrumento com luz). Pode ser necessário recorrer a exames complementares com a impedâncimetria e audiometria.

As otites podem ser limitadas e desaparecer em pouco tempo apenas necessitando de tratamento sintomático como da febre e da dor ou necessitar de tratamento antibiótico, de acordo com a idade e o estado do doente.

As otites são extremamente comuns, principalmente em crianças. Isso deve-se a um sistema imunológico ainda em desenvolvimento e a diferenças na anatomia do ouvido. Existem várias recomendações que reduzem o seu risco:

  • Crianças vacinadas são menos propensas a ter infeções no ouvido. O médico deve aconselhar sobre as vacinas contra a meningite, o pneumococo e a gripe
  • Lavar as mãos das crianças com frequência, o que diminui a propagação de bactérias, constipações e gripes
  • Evitar expor uma criança ao fumo passivo
  • Amamentar crianças sempre que possível (proporciona imunidade)
  • Bebés devem estar sentados e nunca deitados durante a alimentação com biberão
  • Evitar contactos das crianças com outras crianças doentes

 

As otites fazem parte da infância de muitas das pessoas. Podem ser dolorosas e debilitantes, mas apresentam poucas complicações a longo prazo se tratadas adequadamente.

Fontes:

Medical News Today