Consulta Tromboembolismo Venoso

Na Europa o Tromboembolismo Venoso (TEV) afeta anualmente dez milhões de pessoas. Podendo afetar qualquer pessoa, sabemos que quem tem mais de 60 anos, um histórico pessoal ou familiar de tromboembolismo e uma história de cancro estão relacionados com o TEV.

 

Existem ainda fatores de risco que aumentam a probabilidade de TEV:

  • Internamento hospitalar de longa duração
  • Cirurgia realizada à anca, joelho ou a algum tipo de cancro
  • Elevado sedentarismo ou ausência de movimento por longos períodos de tempo

 

A trombose é a formação anormal de coágulos sanguíneos, que quando ocorre nas veias profundas, localizadas nos grupos musculares, é uma  trombose venosa profunda (TVP), se o coágulo se deslocar e bloquear o fornecimento do sangue num vaso distante, origina uma embolia (se o o pulmão for afetado, desenvolve-se um tromboembolismo pulmonar).


A maioria dos TEV pode ser evitado se forem colocadas em prática estratégias de prevenção que detetem o desenvolvimento de coágulos em indivíduos de risco. É necessário identificar os doentes em risco.

 

As medidas preventivas podem incluir medicação anticoagulante (“para tornar o sangue mais fino”) ou sistemas mecânicos de compressão das pernas e pés (meias elásticas, compressão pneumática intermitente) para favorecer a circulação venosa e evitar o TEV.