Telemóvel à refeição, não

Bebés e crianças
Prevenção e bem-estar
2 mins leitura

A hora da refeição deve ser um momento de partilha entre pais e filhos, onde a tecnologia não tem lugar. Mas, por vezes, são os pais que não se desligam.

O uso de telemóvel à mesa é cada vez mais comum, partilhando as refeições que muitas vezes se destinam apenas à família. Para avaliar esta nova realidade e determinar o seu impacto na dinâmica familiar e no desenvolvimento das crianças, uma equipa de investigadores da Universidade de Boston estudou o comportamento de 55 adultos (cada um acompanhado por uma ou mais crianças) num restaurante de fast food. As suas conclusões deram origem ao estudo “Patterns of Mobile Device Use by Caregivers and Children During Meals in Fast Food Restaurants”, publicado recentemente no jornal Pediatrics. Conheça-as aqui e reflita.

 

Telemóvel à refeição rouba as atenções

De acordo com este estudo, 45% dos adultos usaram o smartphone durante a refeição e 16% esteve a usar o telemóvel desde o início até ao final da refeição, pousando-o apenas por momentos, e ignorando as crianças a maior parte do tempo.

Segundo os investigadores, quando as crianças tentavam chamar a atenção dos pais (muitas vezes adotando comportamentos provocadores), estes eram agressivos verbalmente, ralhando, dando instruções à criança num tom "robótico" e, por vezes, até, reagindo de forma física (dando um pontapé à criança por baixo da mesa, por exemplo, refere o estudo).

 

O que dizem os pediatras

De acordo com pediatras da Cleveland Clinic, nos EUA, os resultados deste estudo devem servir de alerta. O tempo de interação com os pais, cara a cara, é fundamental para o desenvolvimento cognitivo, linguístico e emocional das crianças.

Os smartphones e os tablets não substituem o tempo de qualidade entre pais e filhos e o tempo livre (ao fim de semana, por exemplo) e as refeições devem ser um espaço privilegiado para a família conversar, relaxar e usufruir da companhia uns dos outros. Aliás, da mesma forma que os pais devem pôr o telemóvel/tablet de lado quando estão à mesa, não o devem dar à criança de modo a mantê-la entretida e sossegada.

 

Não se esqueça...

As novas tecnologias têm benefícios para os mais novos, mas a sua utilização abusiva interfere na dinâmica familiar e é prejudicial para a saúde física e emocional da criança (leia o nosso artigo "Obcecados pelo telemóvel".