Psicoterapia: em que casos pode ser útil?

Cérebro e saúde mental
6 mins leitura

A psicoterapia pode contribuir para que pessoas com diferentes problemas de saúde mental melhorem a sua qualidade de vida e o seu bem-estar.

A psicoterapia pode fazer parte do plano terapêutico de diversas situações de saúde mental, melhorando a qualidade de vida das pessoas. A psicoterapia assenta essencialmente no diálogo orientado por um terapeuta, estabelecendo-se uma relação de confiança entre o paciente e o terapeuta (psicólogo ou médico psiquiatra). Ao permitir que o paciente se sinta num ambiente de apoio e sem juízos de valor, o especialista ajuda-o a identificar e a alterar padrões de pensamento e de comportamento que o podem estar a impedir de se sentir no seu melhor. Com essas ferramentas, o paciente conseguirá lidar melhor com desafios que possam surgir no futuro, mesmo que já não esteja a fazer psicoterapia.

 

Quando considerar a psicoterapia?

Existem várias ideias erradas acerca da psicoterapia, que podem deixar as pessoas relutantes em recorrer a este tratamento. Ainda que tenha uma noção real do que é a psicoterapia, poderá sentir-se hesitante em marcar a primeira consulta. Contudo, ultrapassar este medo pode ser muito benéfico, pois é o primeiro passo para se sentir melhor e ter mais qualidade de vida.

Há vários sinais que podem indicar a necessidade de psicoterapia, tais como:

  • Sentir-se assoberbado, com sensação prolongada de incapacidade e de tristeza
  • Sentir que a sua situação (familiar, profissional, etc) nunca vai melhorar
  • Estar ansioso na maior parte do tempo
  • Ter problemas que não melhoram apesar do esforço pessoal e ajuda de familiares e amigos
  • Dificuldade de concentração no trabalho e em concluir tarefas do dia a dia
  • Preocupação excessiva, esperar sempre o pior ou sentir-se constantemente no limite
  • Ter atitudes e ações que prejudicam outras pessoas, como beber demais, consumir drogas ou ser agressivo

 

Situações em psicoterapia pode ser útil:

A psicoterapia pode fazer parte do tratamento de problemas de saúde mental, incluindo:

  • Distúrbios de ansiedade, como distúrbio obsessivo-compulsivo, fobia, pânico ou stress pós-traumático
  • Distúrbios de humor, como depressão ou distúrbio bipolar
  • Vícios, como alcoolismo, toxicodependência ou vício do jogo
  • Distúrbios de alimentação, como anorexia ou bulimia
  • Distúrbios de personalidade
  • Esquizofrenia ou outros distúrbios psicóticos

 

A psicoterapia também pode ser útil na ausência de doença mental, na presença de variados problemas do dia a dia, que podem afetar a vida de qualquer pessoa, incluindo:

  • Resolver conflitos do casal ou com familiares
  • Ajudar a gerir a ansiedade e o stress resultante do trabalho
  • Lidar com grandes mudanças na vida, como um divórcio, morte de um familiar / amigo ou perda de emprego
  • Aprender a gerir sentimentos e atitudes pouco saudáveis, como raiva no trânsito ou comportamentos passivo-agressivos
  • Recuperar de situações de abuso físico ou sexual
  • Ajudar a aceitar um problema de saúde mais grave, como diabetes, cancro ou dor crónica
  • Lidar com problemas da saúde sexual
  • Distúrbios do sono

 

Sabia que...

A psicoterapia pode fazer parte de um tratamento mais amplo de saúde mental, combinada com medicação (por exemplo, antidepressivos ou ansiolíticos).

 

A primeira consulta

É normal que se sinta ansioso ao ir à primeira sessão de psicoterapia. Pode até sentir que não tem nada para dizer ou nem saber por onde deve começar. Contudo, o psicólogo / psiquiatra é um profissional com experiência e está habituado a lidar com este tipo de situação, sabendo como deixar as pessoas mais à vontade.

Na primeira sessão, o especialista irá colocar uma série de questões de modo a conhecer melhor o paciente e a perceber o que o levou a recorrer à psicoterapia. Em conjunto, também irão explorar de que forma esse problema está a afetar seu dia a dia, se influencia os seus hábitos de sono, apetite ou comportamentos.

O profissional também poderá fazer algumas perguntas sobre o seu histórico pessoal e familiar de problemas psicológicos, tais como depressão ou ansiedade.

Se foi outro profissional de saúde que lhe recomendou a psicoterapia, como o seu médico assistente, poderá ser útil para o terapeuta saber o porquê desta recomendação.

Caso esteja a fazer algum tipo de medicação, leve consigo a lista dos medicamentos e respetivas doses.

Regra geral, uma sessão de psicoterapia dura entre 45 a 50 minutos.

 

Confidencialidade

Os psicólogos e os psiquiatras são obrigados a manter privado tudo aquilo que é falado durante uma sessão de psicoterapia. Exceto em situações muito raras e concretas, por exemplo, se revelar que tem intenções de se magoar ou de magoar outras pessoas. Assim, poderá ficar mais descansado ao partilhar os seus pensamentos com o especialista, algo que é fundamental para o sucesso da terapia.

 

Leve o seu tempo

Por vezes, falar sobre os seus problemas pode não ser fácil. Não se sinta forçado a fazê-lo. Não há problema em dizer ao seu terapeuta que não está preparado para falar sobre determinado assunto. À medida que ganha confiança no seu psicólogo / psiquiatra e em todo o processo da psicoterapia poderá sentir-se mais confortável e partilhar assuntos que não conseguia partilhar na primeira sessão.

Depois de algumas sessões deverá conseguir compreender melhor o seu problema e ter um plano de ação, tentando encontrar novas formas de pensar, de se comportar e de gerir os seus sentimentos.

Além disso, ao longo do tratamento o psicólogo / psiquiatra e o paciente farão uma avaliação dos progressos e determinarão se os objetivos iniciais ainda fazem sentido ou se precisam de ser reformulados.

 

O que pode aprender com a psicoterapia

Ao longo das sessões de psicoterapia, vai adquirir novas ferramentas que o podem ajudar a ver o mundo de forma diferente. Além disso, vai também aprender a distinguir entre as situações que pode ou não mudar e a focar-se em melhorar as coisas que pode controlar.

A resiliência é outra competência que vai ser trabalhada durante o tratamento e que pode ajudá-lo a lidar melhor com obstáculos que possam surgir no futuro.

 

Dica extra:

Memorizar todos os temas abordados durante a psicoterapia pode ser difícil. Leve consigo um caderno para anotar aquilo que considerar mais importante, como questões e sugestões do psicólogo / psiquiatra.

 

Quanto tempo dura o tratamento?

Quanto aos resultados, cada pessoa terá uma experiência diferente e o tempo que demora a obter os primeiros resultados também irá variar.

O número de sessões que o paciente terá de fazer depende de vários fatores, como:

  • Tipo de problema ou distúrbio
  • Características do paciente
  • Objetivos
  • Ritmo dos progressos

 

Muitas pessoas começam a sentir alguns benefícios após apenas algumas sessões, especialmente se pedirem ajuda precocemente, não deixando que se agravem as preocupações.

No caso, por exemplo, dos doentes com ansiedade severa, só o simples facto de marcarem a primeira consulta e de sentirem que estão a agir para resolver o seu problema pode fazer com que se sintam melhor.

Outra situações levam mais tempo - meses ou anos - para que se comecem a sentir os benefícios da psicoterapia. É o caso, por exemplo, de pessoas que sofreram traumas mais graves, têm vários problemas em simultâneo ou que não sabem identificar de forma concreta a causa da sua infelicidade.

Pessoas com doenças mentais mais graves ou outras mudanças significativas na sua vida podem precisar de psicoterapia de forma permanente ou prolongada de modo a conseguirem manter o seu dia a dia com qualidade.

 

Atenção!

É importante que não desista da psicoterapia e que lhe dê tempo para obter resultados concretos.

Publicado a 25/02/2021