Sabe que a saúde oral impacta a sua saúde geral?

Doenças crónicas
Saúde oral
4 mins leitura

Existe uma complexa associação entre as doenças orais e a saúde sistémica geral. A saúde oral pode influenciar a diabetes ou até mesmo doenças cardiovasculares.

A associação entre as doenças orais e a saúde sistémica geral é multifacetada e complexa. Embora a relação entre o impacto das condições orais e sistémicas não esteja totalmente compreendida, estima-se que mais de 100 doenças e 500 medicações possam apresentar manifestações orais.

 

Qual a importância da cavidade oral?

A boca e a cavidade oral são pontos fulcrais na interação do corpo humano com o meio ambiente externo. O discurso, a mastigação, a deglutição e os estágios iniciais da digestão são funções vitais e envolvem a cavidade oral.

A cavidade oral é colonizada por 500-700 espécies de microorganismos, sendo a severidade desta flora influenciada pelo nível de higiene oral. As bactérias e a saliva apresentam um papel direto no desenvolvimento do biofilme dentário, comumente conhecido como placa bacteriana. 

 

Como influenciam as doenças sistémicas a saúde oral? E qual o impacto das doenças orais na saúde geral?

As doenças sistémicas podem influenciar a saúde oral de forma direta, pela própria via patológica da doença em questão, ou de forma indireta, pelo tratamento e alterações comportamentais a que as mesmas obrigam (por exemplo: realização de medicação com efeitos secundários na cavidade oral).

 

Por outro lado, alterações na cavidade oral têm também um impacto direto na saúde geral. Entre estas alterações destacam-se:

  • Lesões de cárie
  • Doenças periodontais: gengivite e periodontite

A cárie dentária tem uma natureza polimicrobiana e é provavelmente a doença infecciosa mais comum no mundo, podendo levar à perda de dentes, a qual está intimamente relacionada com a diminuição da qualidade de vida.

 

Como se relacionam as doenças crónicas com as doenças orais?

A periodontite, uma doença inflamatória crónica altamente prevalente na população, é a condição com a ligação mais bem estabelecida com as doenças não comunicáveis (DNC). As DNC são doenças crónicas de longa duração que têm aumentado a sua prevalência global juntamente com o aumento do envelhecimento da população, das dietas refinadas e do sedentarismo, contabilizando 41 milhões de mortes todos os ano (71% de todas as mortes globais).

 

O que acontece quando a periodontite não é tratada? 

Quando a periodontite não é tratada reflete-se numa resposta inflamatória que leva à destruição dos tecidos que envolvem e suportam o dente (osso, gengiva, ligamento periodontal e cemento), o que culmina com uma perda de dentes progressiva.

Tal acontece devido a um desequilíbrio, de diversos fatores, que estimula as bactérias do biofilme a libertarem fatores virulentos. Consequentemente, componentes desta placa bacteriana virulenta podem entrar no organismo por diversas vias e aumentar o risco de doenças como:

  • Diabetes Mellitus
  • Doenças cardiovasculares
  • Doença renal crónica
  • Artrite reumatoide

Para além destas patologias, a ligação da periodontite a outras doenças como a pneumonia, doença pulmonar obstrutiva crónica e gastrite está a ser investigada.

 

Impacto da periodontite nas doenças crónicas

Embora a associação seja clara e amplamente aceite, o papel causal da periodontite nestas DNC é controverso. Existe, sem dúvida, uma partilha de fatores de risco entre os dois polos, que variam desde uma predisposição genética a um comportamento preventivo. No entanto, é importante perceber que nem sempre o tratamento da doença periodontal vai resultar numa melhoria da condição sistémica, ainda que a periodontite surja como um indicador de risco, que, quando presente, aumenta a probabilidade de algumas doenças sistémicas ocorrerem.


É então essencial que os pacientes sejam alertados para a interação oral-sistémica e relembrados de que a prevenção primária da doença oral é a melhor abordagem.

Publicado a 10/03/2021
Doenças