COVID-19: Regras para um Natal em segurança

COVID-19
Prevenção e bem-estar
8 mins leitura

Saiba que cuidados deve adotar para desfrutar do Natal sem aumentar o seu risco de ser infetado ou de transmitir COVID-19.

O Natal é uma época de união. Fazemos jantares com os amigos, passamos a Consoada com a família, trocamos prendas com quem é mais importante para nós. Contudo, a atual pandemia de COVID-19 tem-nos imposto um maior distanciamento físico e, por isso, os hábitos que adotámos em natais passados não são completamente compatíveis com as medidas que têm vindo a ser adotadas para controlar a transmissão do vírus SARS-CoV-2. Este ano, há que fazer algumas mudanças na forma como celebramos o Natal, encontrando alternativas mais seguras e sendo criativos.

E não se esqueça: é importante respeitar as medidas definidas pelo estado de emergência para os nossos concelhos e que se encontram em vigor durante a quadra natalícia, tais como possíveis restrições de horários de mobilidade e limites relativamente ao número de pessoas aglomeradas.

 

Medidas-base: é importante relembrar

Acima de tudo, é fundamental adotar as medidas que ao longo da pandemia têm sido tão recomendadas para evitar a transmissão do novo coronavírus:

  • Uso de máscara (em todas as ocasiões, seja em espaços interiores ou exteriores, exceto durante a refeição).
  • Correta lavagem e desinfeção das mãos.
  • Etiqueta respiratória, como colocar o cotovelo à frente da cara sempre que tossir ou espirrar.
  • Manter a distância mínima de segurança, de pelo menos 2 metros, sempre que possível.
  • Evitar tocar em superfícies e objetos comuns.

 

Compras de Natal seguras

É possível que já tenha comprado a maior parte dos seus presentes de Natal através de lojas online, uma estratégia bastante segura no que toca à transmissão da COVID-19, uma vez que não envolve contacto com um grande número de pessoas. Ainda assim, há sempre os presentes de última hora ou que queremos ver ao vivo antes de partir para a compra. Nesses casos, há alguns gestos que pode adotar para fazer compras seguras, reduzindo o risco de ser contagiado:

  • Faça uma lista do que precisa de comprar, sendo mais eficiente e passando menos tempo em espaços públicos.
  • Evite fazer compras durante as “horas de ponta”, em que há uma maior concentração de pessoas.
  • Seja assertivo no momento das compras, dirigindo-se diretamente ao que precisa de comprar para que não tenha de tocar noutros objetos ou passar muito tempo na superfície comercial.
  • Lave as mãos com frequência ou, em alternativa, use um gel desinfetante.
  • Mantenha a distância mínima de segurança (2 metros).

 

Contactos antes e durante o Natal

Antes e durante a quadra natalícia, reduza o número de pessoas com quem interage diretamente, reduzindo o seu risco de infeção, assim como de transmitir o vírus a outras pessoas. Por exemplo, se habitualmente contacta com 10-15 pessoas fora do seu agregado familiar, é aconselhável que agora contacte apenas com 4-5 pessoas.

As recomendações são de que devemos celebrar presencialmente a véspera e o dia de Natal apenas com o agregado familiar, sendo a forma que apresenta um risco mais baixo de transmissão de COVID-19. Pessoas que venham de fora - e aqui incluem-se familiares e amigos - não devem ser considerados do mesmo agregado.

Os encontros presenciais de pessoas de diferentes casas - por exemplo, estudantes que vão passar as férias de Natal a casa dos pais - apresentam um risco variável de transmissão de COVID-19.

Procure alternativas para rever amigos e familiares durante esta época festiva, como videochamadas, telefonemas ou até encontros rápidos nos quintais (usando máscara e mantendo o distanciamento certo).

Não se esqueça também que é importante evitar formas de cumprimento tradicionais e de maior contacto, como beijos na face, abraços e apertos de mão.

 

Atenção!

Se tem sintomas de COVID-19 (como febre, tosse e dificuldade respiratória) ou se teve contacto com alguém infetado, não participe em celebrações presenciais. Permaneça em casa.

 

A duração do encontro faz a diferença

Quanto maior a duração do encontro, maior o risco de transmissão. Estar com uma pessoa infetada durante 15 minutos ou mais de forma cumulativa aumenta consideravelmente o risco de COVID-19. Por isso, é importante reduzir o nosso tempo de exposição. Por exemplo, em vez de estar 3-4 horas reunido com outras pessoas, tente reduzir esse tempo para 1-2 horas, cumprindo todas as outras medidas de segurança.

 

Espaços grandes e arejados são mais seguros

É importante promover a ventilação e circulação do ar dos espaços onde se encontra reunido com a sua família - pode, por exemplo, manter as janelas e portas abertas.

Optar por locais mais amplos - que permitam manter o distanciamento de 2 metros - é também uma medida que, se possível, deve adotar para reduzir o risco de transmissão.

O ideal é que as celebrações e encontros se façam no exterior, caso o estado do tempo assim o permita.

A par destes cuidados, deve também ser feita a desinfeção das superfícies e objetos partilhados.

 

Dica extra:

Evite cantar ou gritar, especialmente dentro de casa. Mantenha o volume da música baixo para que as pessoas não tenham de falar alto para se fazerem ouvir.

 

Comida e bebida durante as festas

Não existem atualmente evidências de que a preparação e ingestão de alimentos estejam associadas a formas diretas de transmissão da COVID-19. Ainda assim, é aconselhável adotar algumas medidas de segurança sempre que estiver a lidar com alimentos, especialmente no Natal, de forma a evitar que ocorra contágio:

  • Evite que cada convidado traga um prato para dividir com os restantes. Jantares tipo buffet não são aconselháveis.
  • Incentive os convidados a trazerem a sua própria comida. Se não for possível, nomeie uma pessoa para servir a comida aos restantes presentes, evitando que haja várias pessoas a tocar nos utensílios.
  • Use máscara enquanto estiver a preparar ou a servir comida a outras pessoas que não pertençam ao agregado familiar.
  • Dê instruções para que cada um guarde a sua máscara enquanto estiver a comer. Esta deve permanecer num local seco e respirável, como um saco de tecido ou de papel, para que se mantenha limpa entre utilizações.
  • Limite a circulação e aglomeração de pessoas em zonas onde a comida está a ser preparada ou distribuída, como a cozinha.
  • Certifique-se de que todas as pessoas lavam as mãos com sabonete e água durante 20 segundos antes e depois de prepararem, servirem e comerem, e depois de deitarem fora o seu lixo. Use desinfetante de mãos com um teor mínimo de 60% de álcool, caso não seja possível lavar as mãos.
  • Disponibilize caixotes do lixo em que não seja preciso tocar com as mãos para depositá-lo. Use luvas quando estiver a remover o lixo do caixote. Lave as mãos depois de retirar as luvas.
  • Lave a loiça na máquina de lavar loiça ou com água quente e detergente imediatamente depois do evento.
  • Lave todos os objetos de tecido (como guardanapos, toalhas de mesa, almofadas de cadeira…) imediatamente após o evento.

 

É também importante moderar o consumo de álcool, que pode influenciar o comportamento das pessoas presentes, comprometendo a correta adoção das medidas de prevenção da transmissão da COVID-19.

 

Na hora de trocar prendas

Seja entre familiares, colegas de trabalho ou amigos, uma das grandes tradições de Natal é a troca de prendas. Este ano, há que colocar em prática alguns cuidados, pois a capacidade de sobrevivência do coronavírus é variável, dependendo do material dos objetos ou superfícies.

Por isso, é importante que todas as pessoas envolvidas na troca de prendas lavem ou desinfetem as mãos antes e depois deste momento. No caso das crianças mais pequenas, é essencial ter cuidados redobrados, pois têm maior tendência para tocar com as mãos na cara.

Outro gesto que pode colocar em prática passa por nomear uma pessoa responsável pela distribuição de todos os presentes, evitando que haja várias pessoas a tocar no objeto ou a circular ao mesmo tempo.

 

Cuidados a ter se vai dormir em casa de um familiar

Se vai passar a noite em casa de um familiar ou receber alguém no seu lar, há vários cuidados que devem ser adotados por todos, de modo a reduzir o risco de transmissão de COVID-19:

  • As visitas devem lavar a sua própria roupa e máscara, e, à chegada, arrumar as suas malas fora das zonas comuns (por exemplo, no quarto onde vão dormir).
  • Lavar com frequência as mãos com sabonete e água durante pelo menos 20 segundos, especialmente à chegada.
  • Utilizar máscara dentro de casa, exceto quando estiver a comer. Nestes momentos, pessoas que não pertençam ao mesmo agregado familiar devem permanecer a, no mínimo, 2 metros umas das outras.
  • Favorecer uma boa ventilação dos espaços interiores, mantendo as janelas e portas abertas.
  • Dar preferência ao ar-livre para desfrutarem da companhia uns dos outros, fazendo por exemplo, uma caminhada. Não esquecer, ainda assim, de manter os 2 metros de distância.
  • Ter com os animais de estimação os mesmos cuidados que se teria com qualquer pessoa. Não deixar que os cães ou gatos interajam com pessoas fora do agregado familiar.
  • Estar atento ao possível aparecimento de sintomas associados à COVID-19, como febre, tosse e dificuldade respiratória.
  • Elaborar um plano de contingência sobre como devem agir caso alguém comece a sentir-se doente.

 

Se as visitas vão permanecer mais de 14 dias, adotando sempre os cuidados acima referidos, e durante esse período de tempo não manifestaram sintomas nem contactaram com pessoas infetadas com COVID-19, podem passar a adotar os mesmos cuidados que uma pessoa pertencente ao agregado familiar.