No contexto da pandemia por COVID-19, os horários, locais e alguns serviços podem ter sofrido alterações provisórias. Para obter a informação que precisa, deve ligar para o seu hospital ou clínica CUF. Caso se desloque a uma unidade de saúde, confirme na receção para onde se deve dirigir.

A vacinação é a forma mais eficaz de prevenir doenças infeciosas. Com as vacinas, a imunidade é estimulada de modo a não contrair doenças quando exposta ao agente infecioso.

 

As reações às vacinas são geralmente ligeiras, como febre e inchaço e vermelhidão locais, havendo muito poucas verdadeiras contraindicações às mesmas.

 

Na CUF, para além das vacinas do Plano Nacional de Vacinação (PNV), estão também disponíveis outras vacinas extra programa que poderão ser recomendadas pelo médico assistente. O PNV é gratuito e universal para todas as pessoas em Portugal

Plano Nacional de Vacinação

É o esquema de vacinação proposto para toda a população, em que as diferentes vacinas e doses são distribuídas ao longo dos anos, desde o recém-nascido.

Esquema recomendado do PNV:

Plano Nacional Vacinação

* As grávidas serão vacinadas contra a tosse convulsa, o tétano e a difteria (Tópa) em cada gravidez

** Aplicável apenas a raparigas, com o esquema 0-6 meses

Siglas utilizadas para a designação das vacinas

VHB - vacina contra Hepatite B; 

DTPaHibVip - vacina pentavalente contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa, Poliomielite e Hemophilus influenzae b; 

DTPaHibVIPVHB - vacina hexavalente contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa, Poliomielite, Hemophilus influenzae b e Hepatite B; 

DTPaHib - vacina contra Difteria, Tétano, Tosse convulsa e Haemophilus influenzae b; 

DTPaVIP - vacina contra a Difteria, Tétano, Tosse convulsa e Poliomielite;

MenC - vacina contra Neisseria meningitidis C (meningite); 

VASPR - Vacina contra sarampo, papeira e rubéola; 

HPV - Vacina contra vírus do Papiloma humano [(a) apenas para raparigas]; 

Td - Vacina contra o tétano e a difteria.

Reações às Vacinas

"Todas as vacinas têm um elevado grau de segurança, eficácia e qualidade, sendo ainda exigida uma certificação lote a lote" PNV 2017

Vacina da BCG

A administração da vacina provoca uma pápula que desaparece ao fim de 20-30 minutos.

Nos dias seguintes:

O banho é permitido assim como todos os cuidados de higiene habituais no dia da vacinação e durante toda a evolução desta.

Verifica-se a formação de um pequeno nódulo vermelho que gradualmente se transforma numa pequena vesícula, com serosidade no meio. Em 2 a 4 semanas a vesícula transforma-se numa úlcera que cicatriza em 2 a 5 meses, ficando uma pequena cicatriz.

A lesão vacinal não requer qualquer tratamento ou penso.

Vacinas do VHB, Hib, DTPa, VIP, Pn13, MenC, HPV,

Efeitos Locais:

Dor, rubor (vermelhidão), enduração e edema (inchaço).

Em vacinas que contenham o componente DTPa ou Td, pode aparecer um nódulo indolor no local da injeção que é reabsorvido ao longo de várias semanas.

Efeitos sistémicos (generalizados): febre, irritabilidade, sonolência, diminuição do apetite, vómitos, diarreia, que habitualmente desaparecem ao fim de 48-72 horas

Vacina contra a VASPR

Efeitos locais: iguais aos anteriores.

Efeitos sistémicos (generalizados): entre o 6º e o 12º dias pode surgir febre >39,4ºC; exantema entre o 6º e 10º dias e que duram 1 a 2 dias; tumefação das parótidas 10 a 14 dias após a vacinação.

Recomenda-se: administração de paracetamol em SOS em caso de febre ou irritabilidade. Gelo, protegido por um pano, no local da administração cerca de 5 a 10 minutos por hora, em caso de dor ou edema.

Precauções e contraindicações às vacinas

  • Reação anafilática a uma dose anterior de vacina ou algum constituinte da mesma;
  • Vacinas vivas em doentes com imunodeficiência grave e em grávidas (BCG, VASPR, Rotavírus, Varicela);
  • No caso da vacina de tosse convulsa, se surgiu encefalopatia nos 7 dias seguintes à toma anterior, sem outro motivo aparente.

 

Falsas contraindicações à realização de vacinas

  • Doença ligeira aguda com ou sem febre (ex. diarreia, infeções respiratórias superiores);
  • Estar a tomar medicamentos (exceto medicamentos que deprimam imunidade);
  • Ter doença crónica
  • Ter familiar com reação grave à vacina
  • Alterações hemáticas

Vacinas Extra-plano

Para além das vacinas incluídas no PNV, existem no nosso país várias outras vacinas que, por não se encontrarem no PNV, a sua administração fica a cargo dos cuidadores.

Vacina contra Rotavírus

A gastrenterite aguda é uma doença bastante frequente em crianças, principalmente nos primeiros anos de vida, caracterizando-se por um quadro de diarreia, vómitos e febre. Na maioria dos casos são causadas por vírus e, dentro destes, o rotavírus assume particular importância.

Em Portugal, os casos de diarreia por rotavírus surgem mais no inverno e primavera, e a maioria das crianças aos 5 anos já teve pelo menos um episódio.

No nosso país são comercializadas duas vacinas, com estruturas e esquemas posológicos diferentes, devendo ser prescritas pelo médico assistente. Ambas as vacinas foram extensamente estudadas antes da sua comercialização, evidenciando um adequado perfil de segurança e eficácia. Salienta-se que a eficácia está dependente da administração correta de todas as doses, podendo diminuir caso não se complete o esquema.

Recomenda-se assim a vacinação de todas as crianças saudáveis, cumprindo as recomendações relativamente à idade de administração e esquemas posológicos.

Vacina contra Neisseria meningitidis serogrupo B

A doença meningocócica, que inclui a meningite meningocócica, é uma doença grave, causada por uma bactéria designada Neisseria meningitidis, que se divide em vários serogrupos. Na Europa os serogrupos mais frequentes são o B e o C. Em Portugal a vacina contra Neisseria meningitidis do serogrupo C é comercializada desde 2002, sendo incluída no PNV em 2006, com uma redução significativa dos casos de doença causada por este serogrupo. Recentemente o serogrupo predominante causador de doença meningocócica é o B, sendo que o número de casos aumenta desde o nascimento atingindo um pico aos seis meses de idade. As formas clínicas mais graves da doença são a meningite e a sepsis, com uma taxa de letalidade significativa e com a possibilidade de sequelas em caso de sobrevivência.

A vacina Bexsero®, única disponível em Portugal para prevenção da doença invasiva por Neisseria meningitidis tipo B, é imunogénica e segura em lactentes, crianças e adolescentes. Os efeitos secundários mais frequentes são a reação no local da picada (nódulo, dor e eritema) e sintomas gerais inespecíficos como febre e irritabilidade.

Tendo em conta as características da doença no nosso país recomenda-se a vacinação de crianças dos dois meses aos dois anos, podendo também ser administrada em crianças e adolescentes.

Vacina Papiloma Vírus Humano no sexo masculino

O Papiloma Vírus Humano (HPV) é uma causa de neoplasias, com incidência elevada em ambos os sexos, sendo que o vírus infeta preferencialmente os órgãos genitais e área perianal.

Os HPV dividem-se em 2 grupos: alto risco, que inclui os serotipos 16 e 18 e estão associados ao desenvolvimento cancro anogenital, cabeça e pescoço; e baixo risco, que inclui serotipos 6 e 11, que geralmente se associam a doença benigna.

A infeção HPV no sexo masculino tem um peso significativo, estando associada ao desenvolvimento de condilomas genitais, neoplasia perianais, do pénis, cabeça e pescoço, não havendo rastreios eficazes na sua prevenção.

Em Portugal são comercializadas duas vacinas para prevenção de infeção HPV. A vacina Gardasil®, nonavalente para os serotipos 6/ 11/ 16/ 18/ 31/ 33/ 45/ 52/ 58, está indicada para administração a partir dos 9 anos de idade, e desde 2008 é a vacina incluída no Programa Nacional de Vacinação para adolescentes do sexo feminino entre os 10 e os 13 anos de idade. De momento, esta vacina é a única aprovada no género masculino. A vacina Cervarix®, bivalente para os serotipos 16/18, pode ser administrada a partir dos 9 anos de idade.

Vacina contra o vírus da Hepatite A

A infeção pelo vírus da Hepatite A é a causa mais frequente de hepatite aguda nas crianças. É uma doença geralmente benigna, muitas vezes sem sintomas de relevo, podendo no entanto ser responsável por casos de maior gravidade.

A vacina para a Hepatite A está disponível desde há cerca de duas décadas. É uma vacina segura, que confere proteção duradoura e compatível com as outras vacinas do PNV. Só está recomendada em crianças com idade superior a doze meses.

Em Portugal são comercializadas duas vacinas: Havrix® 720 Junior, para crianças entre os doze meses e 15 anos, administrada num esquema de duas doses; e VAQTA®, para crianças entre os doze meses e os 17 anos, também em duas doses.

Tendo em conta as características da Hepatite A e a sua prevalência no nosso país, recomenda-se a administração da vacina a crianças pertencentes a grupos de risco (doença hepática crónica, hemofilia, transplante órgãos), que viajem para países com prevalência elevada de Hepatite A, ou na existência de um surto

Vacina contra a Varicela

A Varicela é uma doença muito comum em idade pediátrica. É causada pelo vírus varicela-zoster e tem uma elevada taxa de contagiosidade. É uma doença habitualmente benigna, auto-limitada, que se resolve espontaneamente sem sequelas, podendo em alguns casos ocorrer complicações graves. Está associada a elevada taxa de absentismo escolar e laboral.

Em Portugal existem duas vacinas disponíveis, Varivax® e Varilrix®, ambas podendo ser administradas acima dos doze meses de idade em esquemas de duas doses, demonstrando ser seguras e eficazes. Em países com administração universal da vacina observou-se uma importante redução dos casos de varicela, havendo no entanto em caso de cobertura vacinal baixa (<80%) risco de infeção em grupos etários mais velhos, com maior possibilidade de complicações.

Tendo em conta estes dados, não se recomenda a vacinação de rotina de crianças saudáveis, fora de um programa nacional de vacinação. Recomenda-se no entanto a vacinação de adolescentes sem história prévia de varicela, crianças em grupos de risco ou que contactam com pessoas com doenças que comprometam o sistema imunitário

Onde me devo dirigir dentro da unidade

Em baixo pode consultar as informações relativas ao horário e à localização onde se deve dirigir na unidade de saúde da sua preferência para levar as vacinas:

Clínica CUF Almada

Adultos

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação:  necessário levar a prescrição e o boletim de vacinas
  • Vacinas Extra Plano: necessário levar a prescrição e o boletim de vacinas
  • Viajante: necessário levar a vacina, a prescrição e o boletim de vacinas

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano: necessário levar a prescrição e o boletim de vacinas
  • Viajante: necessário levar a vacina, a prescrição e o boletim de vacinas

Localização: Piso 1 - Gabinete de Enfermagem

Horário:  segunda a sexta-feira das 8h00 às 20h00 e sábados das 8h00 às 12h30 (exceto feriados).

Clínica CUF Alvalade

Adultos

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano: necessário levar a prescrição e o boletim de vacinas
  • Viajante: No âmbito da consulta as vacinas serão administradas. Caso contrário, é necessário levar prescrição. Não necessita de marcação.

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano: necessário levar a prescrição e o boletim de vacinas
  • Viajante: necessário levar a vacina, a prescrição e o boletim de vacinas

Localização: Piso 1 - Posto Médico

Horário:  segunda a sexta-feira das 08h00 às 20h00 e sábados das 09h00 às 13h00.

Clínica CUF Belém

Adultos

  • Vacinas Extra Plano

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano

Localização: Piso 1 - Gabinete de Enfermagem

Horário:  

Segundas e Quartas-Feiras: das 09h30 às 11h30 e das 16h00 às 19h00

Terças-Feiras: das 09h30 às 11h30 e das 13h30 às 19h00

Quintas-Feiras: das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 19h00

Sextas-Feiras: das 09h30 às 11h30 e das 16h30 às 19h00

Hospital CUF Cascais

Adultos

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano
  • Viajante: é necessário prescrição. (Nota: não se realiza vacina para Febre Amarela, nem as vacinas de admnistração oral como a Malária ou a Cólera)

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano
  • Viajante: é necessário prescrição. (Nota: não se realiza vacina para Febre Amarela, nem as vacinas de admnistração oral como a Malária ou a Cólera)

Localização:  

Admissão: Receção principal - Piso 0 (receção 0A)

Administração: Receção família - Piso 0 (receção 0B)

Horário:  segunda a sexta-feira das 08h30 às 21h30

Hospital CUF Descobertas

Adultos

  • Viajante: necessário levar prescrição e boletim de vacinas (nota: não se realiza vacina para Febre Amarela)

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas extra-plano: necessário levar prescrição
  • Viajante

Localização

Adultos: Gabinete de enfermagem respetiva da especialidade que prescreveu

Crianças: Edifício 2, Piso 2, ala de Pediatria

Horário:  Sujeito a marcação com a unidade

Hospital CUF Infante Santo

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano

Localização: Edifício nr 34,  Piso 2, ala de Pediatria

Horário:  segunda a sexta-feira das 09h00 às 19h00 (exceto Feriados)

Clínica CUF Mafra

Adultos

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar prescrição médica. É necessário levar a vacina excepto BEXERO, ROTATEQ e ROTARIX. 
  • Viajante: é necessário levar a prescrição médica e a vacina a ser administrada

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar prescrição médica. É necessário levar a vacina excepto BEXERO, ROTATEQ e ROTARIX. 
  • Viajante: é necessário levar a prescrição médica e a vacina a ser administrada

Localização:  Gabinete de Enfermagem

Horário:  

Crianças - Sujeito a marcação com a unidade

Adultos - segunda a sexta-feira das 09h00 às 22h00 e sábados das 09h00 às 19h00.

Clínica CUF Miraflores

Adultos

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano

Crianças

  • Vacinas do Plano Nacional de Vacinação
  • Vacinas Extra Plano

Localização:  Piso 1

Horário:  segunda a sexta-feira das 09h00 às 19h30 e sábados das 09h00 às 13h00

Clínica CUF Nova SBE

Vacinação integrada na consulta do viajante (mediante apresentação da vacina, da prescrição e do boletim individual de vacinação)

Localização: Gabinete de Enfermagem, piso 1

Horário: Sujeito a marcação com a unidade

Hospital CUF Porto

Adultos

  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar prescrição médica e a vacina.

Crianças

  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar prescrição médica e a vacina.

Localização: segunda a sexta-feira das 08:30h às 20h00 e sábados das 08:30h às 13h00.

Horário:  Balcão de atendimento do Piso -1

Instituto CUF Porto

Adultos

  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar pescrição médica e boletim de vacinas.

Crianças

  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar pescrição médica e boletim de vacinas.

Localização:  segunda a sexta-feira das 08h00 às 20h00

Horário:  

Crianças -  receção do Piso 2

Adultos - Piso 0, receção central

Clínica CUF S. Domingos de Rana

Adultos

  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar a vacina, pescrição médica e boletim de vacinas
  • Viajante: é necessário levar a vacina, pescrição médica e boletim de vacinas

Crianças

  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar a vacina, pescrição médica e boletim de vacinas.
  • Viajante: é necessário levar a vacina, pescrição médica e boletim de vacinas

Localização:  Piso 1 para admissão e Piso 2 para administração da vacina

Horário:  segunda a sexta feira das 09h30 às 21h00

Clínica CUF S. João da Madeira

Adultos

  • Vacinas Extra Plano: é necessário o boletim de vacinas

Crianças

  • Vacinas Extra Plano: é necessário o boletim de vacinas

Localização:  Receção do Piso 0

Horário:  segunda-feira a sábado das 08h00 às 20h00

Clínica CUF Santarém

Adultos

  • Vacinas Extra Plano: apenas se administra a vacina Prevenar, a título particular, apenas com prescrição por parte da equipa de pneumologia.

Localização:  Vacinas Extra Programa - Consulta de pediatria (não estão disponíveis as vacinas PNV)

Horário: segunda a sexta-feira das 09h00 às 21h00

Hospital CUF Sintra

Adultos 

  • Vacinas Plano Nacional de Vacinação: é necessário levar boletim de vacinas
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar boletim de vacinas e prescrição
  • Viajante: é necessário levar a vacina, o boletim de vacinas e a prescrição

Crianças

  • Vacinas Plano Nacional de Vacinação: é necessário levar boletim de vacinas
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar boletim de vacinas e prescrição
  • Viajante: é necessário levar a vacina, o boletim de vacinas e a prescrição

Localização:  

Admissão: Receção principal

Administração: Gabinete de Enfermagem Piso 1

Horário:  segunda a sexta-feira das 08h00 às 20h00 e sábados das 09h00 às 13h00

Hospital CUF Torres Vedras

Adultos 

  • Vacinas Plano Nacional de Vacinação: é necessário levar boletim de vacinas
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar boletim de vacinas e prescrição

Crianças

  • Vacinas Plano Nacional de Vacinação: é necessário levar boletim de vacinas
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar boletim de vacinas e prescrição

Localização:  Consulta externa no Piso 1

Horário:  segunda a sexta-feira das 08h00 às 22h00 e sábados das 08h00 às 16h

Hospital CUF Viseu

Adultos 

  • Vacinas Plano Nacional de Vacinação: é necessário levar boletim de vacinas
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar boletim de vacinas e prescrição

Crianças

  • Vacinas Plano Nacional de Vacinação: é necessário levar boletim de vacinas
  • Vacinas Extra Plano: é necessário levar boletim de vacinas e prescrição

Localização:  Gabinete de Enfermagem, Piso 1

Horário:  segunda a sexta-feira das 09h00 às 19h30 e sábados das 09h00 às 12h30

Perguntas Frequentes
Por que motivo nos devemos vacinar?

Atualmente, graças ao sucesso da vacinação, a maioria das pessoas desconhece a gravidade das doenças evitáveis pela vacinação, que há alguns anos atrás eram responsáveis por um elevado número de mortes na infância. De facto, as vacinas salvam vidas. Mas para que as doenças sejam controladas, ou mesmo erradicadas (como aconteceu no caso da varíola), é necessário que uma elevada percentagem da população esteja vacinada. Recentemente surgiram surtos de sarampo em vários países, com registo de mortes, surgindo estes surtos maioritariamente em núcleos de pessoas não vacinadas.

As vacinas são um método seguro de prevenção de inúmeras doenças infeciosas, dependendo a sua eficácia de uma correta administração, abrangendo a maioria da população.

Quais são os efeitos secundários das vacinas?

As vacinas têm uma elevada taxa de eficácia e segurança, sendo cada lote submetido a certificação.

Na maioria dos casos as vacinas são bem toleradas e os efeitos causados são ligeiros e resolvem-se espontaneamente. Em alguns casos, e dependendo da vacina administrada, podem surgir alguns efeitos secundários:

  • Febre nas primeiras 24 a 48h após vacinação;
  • Irritabilidade, alteração no padrão do sono, dor muscular, dor de cabeça, mal-estar geral;
  • Reação local: edema, calor e dor no local da picada.
Ao fim de quanto tempo se fica protegido?

O tempo necessário até haver proteção completa depende do tipo de vacina e do número de doses administradas. Geralmente, em vacinas que são necessárias várias doses, existe uma proteção incompleta após uma dose única nas duas semanas seguintes. Para cada vacina é necessário completar o esquema recomendado de modo a ter uma proteção completa e duradoura.

O meu filho tem uma vacina atrasada, e agora?

Se deixar passar um momento de vacinação, assim que possível dirija-se a um centro de vacinação para regularizar o calendário de vacinas. Não se esqueça de levar o Boletim Individual de Saúde