Sopro cardíaco

O que é?
Sintomas
Diagnóstico
Tratamento

O sopro cardíaco é um som resultante da circulação do sangue no coração ou nos vasos sanguíneos. O sangue em movimento, mesmo sem encontrar nenhuma obstrução, gera sons.

Contudo, quando existe alguma alteração no coração ou nos vasos (nomeadamente nas válvulas que separam as cavidades de cima - aurículas - das de baixo - ventrículos -  ou quando há comunicação entre o lado direito e o lado esquerdo do coração) os sopros podem aparecer, com maior ou menor gravidade.

A grande maioria dos sopros não tem qualquer tipo de manifestação, ou seja, são assintomáticos, e detetados apenas nas consultas de vigilância de saúde infantil, através da auscultação com o estetoscópio. 

Em casos raros, os sopros podem resultar de doenças do coração mais graves. Em alguns casos o diagnóstico pode ocorrer ainda durante a gravidez. Noutros, o bebé apresenta palidez, cansaço a mamar, unhas e lábios azulados - cianose - ou má evolução do peso e do comprimento. Em casos extremos, um sopro pode ser ouvido mesmo sem ajuda de um estetoscópio.

A grande maioria dos sopros são designados como sopros “inocentes”: existem mas não se associam a doença, podem ouvir-se melhor quando a criança está com febre e tendem a desaparecer com a idade. 

Como se referiu anteriormente, o sopro diagnostica-se, quase sempre, através da auscultação. O pediatra ou o médico assistente avaliarão a necessidade de referenciar a criança ao especialista do coração - cardiologista pediátrico e este, quando entende realiza a ecografia cardíaca com Doppler a cores para diagnóstico e avaliação de complicações no coração.

Felizmente, em cada 100 crianças com sopro cardíaco, 99 tem um sopro inocente e nenhum tratamento é necessário. Um sopro numa criança saudável, é isso mesmo, mais um sinal de saúde. A criança transpira energia, pula o dia todo, corre de alegria, só pára para dormir, e tem um sopro no coração.

No 1% restante, após diagnóstico e avaliação em cardiologia, pode ser necessária medicação e eventualmente cirurgia, com menor ou maior urgência, variando caso a caso.

Fontes

António Macedo,

Cardiologista Pediátrico, Hospital CUF Descobertas

 

Doenças relacionadas