O que é?
Vantagens e benefícios
Metodologia
Indicações
Cuidados a ter

Trata-se de um dos exames complementares de diagnóstico não-invasivos mais frequentemente utilizados para avaliar a função cardíaca.

 

O eletrocardiograma é um exame que deteta a atividade elétrica do coração. Cada contração do músculo cardíaco ou das válvulas do coração é comandado por pequenos impulsos elétricos gerados no próprio coração. O ECG consegue identificar os padrões normais de transmissão e geração destes impulsos elétricos.

 

Assim o ECG é o exame mais indicado para avaliar arritmias cardíacas e para a investigação inicial da isquémia cardíaca.

O ECG é um exame complementar importante para a interpretação do ritmo cardíaco e para a deteção de isquémia do coração.

 

O eletrocardiograma é também de grande valor na avaliação de outros tipos de anormalidades cardíacas, incluindo doenças das válvulas cardíacas, cardiomiopatia, pericardite e sequelas cardíacas da hipertensão arterial.

 

Sendo um exame inofensivo e pouco dispendioso, é da maior utilidade para o estudo do coração.

O eletrocardiograma em repouso é feito com o paciente deitado e com o tronco nu.

 

O ideal é que o paciente não tenha feito nenhum tipo de esforço nos últimos 10 minutos, nem fumado nos 30 minutos que antecedem o exame. Deve, também evitar-se beber água fria antes do exame porque pode alterar o traçado obtido.

 

São fixados no tórax seis eletrodos, através de adesivos, e mais 4 pás, também com eletrodos, são colocadas nos punhos e tornozelos. Habitualmente, utiliza-se um pouco de gel entre cada eletrodo e a pele para aumentar a condução elétrica.

 

Em alguns casos, os 6 adesivos com eletrodos fixados ao tórax são substituídos por peras de borracha com uma base metálica, que se fixa à pele através de vácuo, como ventosas.

 

Após a correta colocação dos eletrodos eles são ligados à máquina que fará a leitura da atividade elétrica do coração.

 

O exame é muito rápido, dura apenas alguns segundos. A máquina capta os sinais elétricos do coração e imprime um traçado num papel quadriculado próprio.

As indicações mais comuns para o ECG são as arritmias, os defeitos cardíacos congénitos, problemas nas válvulas cardíacas, doença coronária, enfarte agudo do miocárdio em curso ou antigo.

 

O eletrocardiograma, por ser barato e de fácil acesso, é o primeiro exame realizado nos pacientes que se apresentam com queixas de dor no peito, cansaço, dificuldade na respiração, tonturas ou outros sintomas que possam sugerir doença cardíaca.

 

As informações dadas pelo exame são relativamente fidedignas, mas cerca de 25 % dos pacientes com angina tem o ECG normal. As alterações decorrentes de angina no ECG podem ser confundidas com mudanças causadas por hipertrofias ventriculares, distúrbios de condução sequelas de enfartes antigos, etc.

 

O ECG é também útil para o controlo evolutivo de uma doença cardíaca já confirmada por outros métodos de diagnóstico.

O eletrocardiograma em repouso não apresenta qualquer risco para saúde.

 

Por vezes, pode ocorrer uma uma discreta alergia no local dos adesivos.

 

Se o paciente tiver muitos pelos no peito, poderá ser necessário rapar, para que os eletrodos possam ser fixados.

Fontes

Mayo Foundation for Medical Education and Research, Outubro de 2012

Johns Hopkins Medicine, 2013

National Institutes of Health, Department of Health and Human Services, 2014

Doenças relacionadas