Crianças hiperativas nas férias de verão: o que fazer?

Bebés e crianças
5 mins leitura

É importante que as atividades das férias sejam estimulantes, sobretudo para as crianças hiperativas, mas também que permitam estreitar os laços familiares.

Ter um filho com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) é um desafio que, segundo o especialista Russell Barkley, pode trazer grande realização pessoal para os pais, sendo, no entanto, um desafio bem maior que o enfrentado pela maioria dos pais na educação dos seus filhos.

Geralmente, as férias são um momento aguardado por toda a família para estarem juntos e fazerem programas agradáveis, fortalecendo os laços afetivos entre os vários membros. Mas, quando uma criança é hiperativa e impulsiva, é possível que o seu comportamento torne difícil a convivência familiar e social.

 

Adaptar as expectativas

Muitas destas crianças estão medicadas durante o ano letivo mas, por indicação médica, chegadas as férias a medicação é interrompida de modo a limitar alguns dos efeitos secundários prolongados destes medicamentos. E, com tanto tempo livre, as possibilidades de desarrumação, comportamentos de oposição e birras aumentam enormemente, criando conflito e stress no relacionamento entre os membros da família.

É assim importante adaptar as expectativas à realidade, não criando grandes ilusões, pois as férias podem não ser tão tranquilas e de real descanso e prazer como para os pais das outras crianças. É claro que isto se aplica particularmente às crianças que apresentam agitação psicomotora e impulsividade e não tanto às crianças cuja característica principal é serem desatentas.

 

Mais prazer na nova rotina

Por outro lado, convém lembrar que nas férias escolares as crianças são mais livres de escolherem as atividades que vão fazer, sentem-se menos pressionadas para obtenção de bons resultados e os horários são mais flexíveis, o que lhes proporciona muito mais prazer no cumprimento da nova rotina, por vezes, com uma mudança de comportamento para melhor.

 

Sentir a aprovação dos pais

Para o controlo do comportamento de crianças e adolescentes com PHDA é indispensável a estruturação do meio-ambiente de maneira a que ele seja favorável, além de um aumento na motivação para seguir as regras e trabalhar na conquista de objetivos.

Para a maioria das crianças e adolescentes, quer o expressem ou não, é importante a aprovação e confiança dos pais. Com a quantidade de críticas negativas e desaprovação que recebem no seu dia a dia, estas crianças facilmente desanimam. Por isso precisam de sentir o amor incondicional e a aceitação das suas famílias, sentirem-se seguros e confortáveis. Sobretudo, eles esperam ser tratados com paciência, compreensão e tolerância.

 

Sugestões para as férias

A pensar nas próximas férias, com tanta energia e disposição para ser gasta, quando nada parece prender a atenção das crianças, aqui ficam algumas sugestões.

Deixe o seu filho ir passar um tempo a casa de um familiar que não vê há algum tempo ou um parente próximo, mas num lugar fora do habitual. Isto vai trazer-lhe novas experiências e aprendizagens, tanto mais se for em locais afastados da cidade, o que leva as crianças a assimilar novos valores sobre a natureza.

Uma outra opção, para crianças mais velhas e adolescentes, é a frequência de colónias de férias, sempre vigiadas por monitores responsáveis e conhecedores da perturbação das crianças, de modo a deixá-los extravasar a sua agitação motora, mas sempre com regras de comportamento estabelecidas.

 

O que fazer em casa com crianças hiperativas

Sem sair de casa, se tiver a oportunidade, deixe-o brincar com os vizinhos. Pode ser positivo na medida em que terá novos amigos, com coisas diferentes a partilhar. Lembra-se das suas próprias brincadeiras antigas? Explique-lhe como funcionam e, se for adequado, promova a construção de brinquedos, o que estimula a imaginação. E claro, numa época de calor, o exterior é apelativo. Leve a criança a passear, andar de bicicleta ou patins, jogar à bola, ir à praia ou a parques. Mas faça-o de um modo divertido: deixe-o brincar na terra ou molhar-se com água: eles adoram e será uma experiência inesquecível.

 

Os pais devem motivar os seus filhos

Uma das características frequentes das crianças com PHDA é apresentarem uma descoordenação motora. Assim, porque não iniciar ou praticar com ele aquela atividade física que ele tanto gosta, mas que "não tem jeito" e tende sempre a evitar para não se sentir inferior em relação aos seus companheiros? Ou, quem sabe, motivá-lo para uma nova? É uma ótima oportunidade de partilharem algo, ao mesmo tempo que o faz sentir-se importante e compreendido. Os pais devem reconhecer e apreciar os seus esforços, encarando as suas dificuldades sem crítica ou sarcasmo.

O principal objetivo é que tanto as famílias como as crianças e adolescentes consigam desfrutar das férias, brincar e relacionar-se de forma saudável, criando laços mais fortes, sem prejuízo para a sua autoestima e relação familiar.

 

Não se esqueça

Dada a maior propensão para a ocorrência de acidentes, dada a irrequietude, nunca é demais alertar para o elevado grau de vigilância a que estas crianças devem estar sujeitas.