Via Verde

Diagnóstico de Cancro

A pandemia provocada pelo novo Coronavírus contribuiu para uma diminuição preocupante no diagnóstico de novos casos de doenças oncológicas.

A pensar em quem precisa de uma resposta rápida para um diagnóstico oncológico, a CUF Oncologia reforçou os seus processos e recursos para disponibilizar um maior acesso às suas vias verdes internas, sempre acionáveis nos casos de suspeita de cancro. A nossa forma habitual de atuação, com rigor e rapidez, ganha maior relevância no contexto atual.

 

Marque uma consulta de avaliação com um dos nossos especialistas, realize os exames necessários e em poucos dias tenha a resposta adequada ao seu caso.

Um diagnóstico rápido e preciso é fundamental no sucesso do tratamento e para um melhor prognóstico da doença.



A CUF Oncologia disponibiliza o acesso às suas vias verdes para as patologias de cancro da mama, cancro colorretal, cancro da próstata e cancro do pulmão nos hospitais da rede CUF.

Quem pode usufruir

A Via Verde Diagnóstico de Cancro destina-se a pessoas com suspeita de doença oncológica por presença persistente de sintomas, tais como como: perda de peso constante, nódulo palpável ou se já tiver consigo um exame com alterações suspeitas, como por exemplo um PSA elevado e, por isso, necessita de uma consulta com o especialista mais adequado ao seu caso. 

Vias Verdes: indicações clínicas
Diagnóstico de Cancro da Mama

O cancro da mama é o tumor maligno que mais afeta as mulheres em Portugal. Por ano, são diagnosticados mais de 6000 novos casos no nosso país. Felizmente, graças à evolução na medicina e aos comportamentos de prevenção na saúde, a taxa de sobrevivência é superior a 85%, nos casos em que o cancro da mama é diagnosticado atempadamente. Contudo, ainda morrem cerca de 1500 portuguesas todos os anos, vítimas da doença.

Os principais fatores de risco documentados e comprovados estão relacionados com a idade (cerca de 75% das neoplasias ocorrem em mulheres com mais de 50 anos), com fatores hormonais, nomeadamente  menarca tardia, menopausa precoce ou o uso de terapia hormonal de substituição e estilos de vida, nomeadamente o excesso de peso e o sedentarismo. A hereditariedade é também um fator de risco, responsável por cerca de 10-15% do total de diagnósticos de cancro da mama.

 

O que é a via verde de diagnóstico do cancro  do mama ?

É um processo criado nos hospitais CUF para diagnosticar  o cancro da mama de uma forma rápida e precisa.

 

Qual o benefício?

O cancro da quando diagnosticado precocemente, tem um prognóstico muito  favorável com taxas de sobrevivência superiores a 85% e com qualidade de vida.

 

A quem se destina?

Esta via verde destina-se a pessoas (homens ou mulheres) com as seguintes indicações:

  • Nódulo da mama novo ou diferente dos já conhecidos

  • Nódulo da mama com crescimento rápido 

  • Alteração recente da forma ou contorno da mama

  • Sangramento do mamilo

  • Descamação da aréola

  • Pele com aspecto de casca de laranja e cor vermelha

  • Ecografia mamária e/ou mamografia classificadas como BIRADS >/=4

 

Como é feito?

Em consulta, o especialista irá avaliar se existem alterações radiológicas e ou clínicas que justifiquem o prosseguimento do estudo. Se esse for o caso, serão efetuados os exames adequados a cada situação.

Diagnóstico de Cancro da Próstata

Em Portugal, o cancro da próstata é a neoplasia mais frequente nos homens, e é a 3ª causa de morte oncológica. Os principais fatores de risco do cancro da próstata são a idade e a história familiar de cancro.

A idade de diagnóstico de cancro da próstata nos familiares, o número de familiares atingidos pela doença e o grau de parentesco dos mesmos, incrementa o risco. Esta relação é mais relevante no caso de existir na família nuclear mais de 3 casos de cancro da próstata, haver cancro da próstata em 3 gerações sucessivas ou haver, pelo menos, 2 casos de cancro de próstata na família com idades inferiores a 55 anos. A existência na história familiar de outros cancros, tais como mama, ovário, colorretal podem também estar associados a um risco aumentado de cancro da próstata.

 

O que é a via verde de diagnóstico do cancro da próstata?

É um processo criado nos hospitais CUF para diagnosticar ou excluir um cancro da próstata de uma forma rápida e precisa.

 

Qual o benefício?

O cancro da próstata quando diagnosticado precocemente, é significativamente melhor do que se diagnosticado em fase avançada permitindo maior possibilidade de cura ou sobrevivência livre de doença.

 

A quem se destina?

  • Homens com mais de 40 anos e portadores de alterações genéticas conhecidas, tais como BRCA2, ou história familiar de cancro da mama, ovário, etc.
  • Homens com mais de 45 anos e história familiar de cancro da próstata

 

Se tiver um exame recente ao PSA e uma idade compreendida: 

  • entre os 40 e 50 anos e PSA total maior de 1 ng/ml
  • entre os 50 e 60 anos e PSA total maior de 2 ng/ml
  • mais de 60 anos e PSA total maior de 2,5 ng/ml

 

Como é feito?

Em consulta, o especialista irá avaliar se existe alguma irregularidade ou nódulo palpável ou se o valor do PSA total levanta suspeita da existência de cancro da próstata. Se esse for o caso, existe indicação para a realização de uma ressonância magnética multiparamétrica de próstata.  Este exame poderá revelar áreas suspeitas na próstata (PIRADS ≥ 3). Neste caso existe indicação para biópsia de próstata para confirmação ou exclusão do cancro da próstata.

Diagnóstico de Cancro do Cólon e do Reto

O cancro do cólon e do reto é um problema de saúde relevante, dada a sua elevada incidência e morbi-mortalidade, sendo a segunda causa de morte por cancro no mundo ocidental. Em Portugal, surgem 19 novos casos de cancro colorretal por dia, com uma incidência de 67 novos casos por 100 000 habitantes. Todos os anos registam-se cerca de 3400 mortes no mesmo período de tempo. A doença é mais frequente entre a quinta e a sétima décadas de vida, embora se registe nos últimos anos um número crescente de casos antes dos 40 anos, frequentemente no contexto de cancro colorretal hereditário.

Os principiais fatores de risco para cancro do cólon e do reto são história familiar de cancro colorretal, existência de síndromes hereditários (polipose adenomatosa familiar ou cancro colorretal hereditário não polipóide), doença inflamatória intestinal (doença de Crohn ou colite ulcerosa) e maus hábitos alimentares.

 

O que é a via verde de diagnóstico do cancro do cólon e do reto?

É um processo criado nas Unidades CUF de diagnosticar ou excluir um cancro do cólon e do reto de uma forma rápida e simples.

 

Qual o benefício?

O prognóstico do cancro do cólon e do reto é significativamente melhor quando diagnosticado precocemente do que se diagnosticado em fase avançada, permitindo maior possibilidade de cura ou sobrevivência livre de doença, com melhor qualidade de vida. O estadio da doença à data do diagnóstico é, na verdade, o fator de prognóstico mais relevante.

 

A quem se destina?

Em especial, para casos de:

  • história familiar de cancro do cólon ou cancro do reto
  • Alteração recente do trânsito  intestinal (prisão de ventre ou diarreia)
  • Presença de sangue ou muco nas fezes
  • Portador de doença inflamatória do intestino - Doença de Crohn, ou colite ulcerosa

 

Como é feito?

É realizada consulta de Cirurgia Colorretal, com uma avaliação clínica inicial, incluindo história clínica e exame físico. Nos casos em que tal se justifique, o doente será encaminhado para realização de colonoscopia total, o exame de eleição para rastreio e diagnóstico de cancro colorretal. Se existir contraindicação para a realização de colonoscopia, o doente será orientado para a realização de colonografia por Tomografia Computorizada (TC).

 

Diagnóstico de Cancro do Pulmão

O cancro do pulmão é o tumor  que maior  mortalidade determina em todo o mundo. Em Portugal continua a ser a principal causa de morte por cancro no sexo masculino, sendo a taxa de mortalidade  por cancro do pulmão, nos dois sexos, superior à do cancro do colón, mama e próstata combinados.

Em 2018 foram diagnosticados em Portugal 5280 novos casos  e os números continuam a aumentar. Ao longo dos últimos 50 anos, a mortalidade por cancro do pulmão cresceu de forma persistente. Os fatores de risco de desenvolvimento do cancro do pulmão vão desde os  estilos de vida, sendo   o tabagismo  o principal fator desencadeante, mas também  a exposição a agentes cancerígenos por via da profissão  e  fatores genéticos.

 

O que é a via verde de diagnóstico do cancro  do pulmão ?

É um processo criado nos hospitais CUF para diagnosticar  o cancro do pulmão de uma forma rápida e precisa.

 

Qual o benefício?

O cancro do pulmão quando diagnosticado precocemente, tem um prognóstico muito  melhor do que se diagnosticado em fase avançada permitindo maior possibilidade de cura ou sobrevivência livre de doença.

 

A quem se destina?

  • A pessoas que tendo efectuado um exame aos pulmões, (radiografia de tórax ou TAC torácica) com alterações pulmonares  e que tenham  qualquer sintoma prévio ou mesmo estando assintomáticas.

 

 

Como é feito?

Em consulta, o especialista irá avaliar se existem alterações radiológicas e ou clínicas que justifiquem o prosseguimento do estudo. Se esse for o caso, serão efetuados os exames adequados a cada situação, de acordo com a localização das alterações pulmonares, nomeadamente  indicação para biópsia pulmonar pelo método que melhor se adeque a cada situação, para confirmação ou exclusão do cancro do pulmão  e, por exemplo, PET para melhor estadiamento e definição da terapêutica adequada à situação em causa.

 

Perguntas Frequentes
Em que hospitais estão disponíveis vias verdes?

Via verde para diagnóstico de Cancro da Mama, Cancro da Próstata e Cancro do Cólon e Reto:

- Clínica CUF Almada

- Hospital CUF Cascais

- Hospital CUF Coimbra

- Hospital CUF Descobertas

- Hospital CUF Infante Santo

- Hospital CUF Porto

- Hospital CUF Santarém

- Hospital CUF Sintra

- Hospital CUF Torres Vedras

- Hospital CUF Viseu

 

Via verde para diagnóstico de Cancro do Pulmão:

- Hospital CUF Descobertas

- Hospital CUF Infante Santo

- Hospital CUF Porto

Qual o valor a pagar?

O valor a pagar será por ato médico realizado, de acordo com a sua apólice de seguro de saúde, subsistema de saúde ou valor particular, conforme as tabelas de preços afixadas nas unidades CUF.

A CUF dispõe de acordos com a maioria das seguradoras e subsistemas.

Não tenho sintomas, posso marcar uma via verde?

A via verde destina-se a pessoas que necessitam de uma resposta rápida porque têm sintomas suspeitos de uma das patologias mencionadas ou um exame com alterações que precisa de uma avaliação médica, com a maior brevidade possível. 

Se não tem sintomas, mas precisa de uma consulta de rotina ou de vigilância, sugerimos a marcação de uma consulta na unidade CUF que lhe for mais conveniente, com o especialista que melhor se adequará ao seu caso.

CUF Oncologia

Com mais de 35 anos de experiência, a CUF Oncologia conta com a dedicação de equipas experientes e especializadas no diagnóstico e tratamento das doenças oncológicas.