O que são?

Em certos casos de surdez severa a profunda as células ciliadas da cóclea estão tão lesadas que a estimulação da via auditiva por som ou por vibração não consegue assegurar uma melhoria da perceção auditiva.

Os Implantes Cocleares convertem o som ambiental em sinais elétricos e transmitem-no diretamente ao nervo auditivo através de elétrodos implantados cirurgicamente no interior da cóclea.

Implantes Cocleares são dispositivos eletrónicos cirurgicamente implantados que estimulam diretamente o nervo auditivo fornecendo assim uma sensação auditiva.

 

São formados por dois componentes:

  • Componente Externo

Geralmente usado atrás da orelha, como uma prótese auditiva, é formado por um microfone que capta o som ambiente, um processador (minicomputador) que transforma esses sons num código elétrico e um transmissor que envia por radiofrequência e através da pele esse código ao componente interno.

 

  • Componente Interno

É implantado cirurgicamente por baixo da pele atrás da orelha. É formado por um recetor que recebe o sinal codificado pelo componente externo e o envia para elétrodos colocados no interior da cóclea estimulando diretamente as terminações do nervo auditivo.

Os sinais elétricos conduzidos pelo nervo auditivo irão ser enviados a áreas específicas do cérebro onde serão interpretados como sons e linguagem.

Mais informações
Benefícios

Globalmente podemos dizer que o Implante Coclear está indicado em todas as pessoas com surdez severa a profunda, de tipo neurossensorial (perda de células ciliadas na cóclea) que não apresentem benefício com próteses auditivas bem adaptadas.

 

Adultos com surdez neurossensorial severa a profunda bilateral (dados atuais apresentam vantagem do Implante Coclear na reabilitação auditiva de indivíduos com surdez unilateral).

 

Crianças com surdez neurossensorial severa a profunda bilateral com pouco benefício na perceção da fala e na aquisição da linguagem com o uso de próteses auditivas corretamente adaptadas.

 

Como posso saber se é indicado para o meu caso?

Todo o processo começa na primeira consulta onde se inicia a investigação da causa da surdez, da repercussão da mesma sobre a linguagem e integração no meio social, escolar ou profissional e se pesquisa a presença de outras doenças que possam impedir a colocação de Implante Coclear.

Exames auditivos irão quantificar o grau de surdez, caracterizar o tipo de surdez e avaliar a eficácia das próteses auditivas na perceção de sons e na compreensão de palavras.

Nos potenciais candidatos a Implante Coclear, exames radiológicos ("TAC" e "Ressonância") serão utilizados para provar a existência de um nervo auditivo íntegro e da presença de uma cóclea implantável, requisitos essenciais para a colocação de um Implante Coclear.

Em crianças é importante avaliar o grau de linguagem verbal existente e a presença de doenças que possam comprometer a reabilitação auditiva e a aquisição de linguagem.

 

Cirurgia

A cirurgia do Implante Coclear requer anestesia geral e internamento hospitalar de um a dois dias.

 É feita uma incisão na pele atrás da orelha, sendo necessário cortar cerca de dois centímetros de cabelo nessa área. Essa única cicatriz ficará totalmente escondida pelo cabelo em pouco tempo.

 Abre-se a mastóide (região óssea atrás da orelha), criando-se um trajeto em direção à caixa do tímpano com exposição da primeira espiral da cóclea.

Através de um pequeno orifício é introduzido o cabo de elétrodos no interior da cóclea onde irão estimular as terminações do nervo auditivo.

Por fim o recetor é colocado por baixo da pele atrás da zona de incisão.

 Toda a cirurgia é feita com monitorização do Nervo Facial (dada a sua proximidade com o trajeto do cabo dos elétrodos) e dura cerca de 2-3 horas, sendo considerada um cirurgia segura e de rápida recuperação.

Depois da Cirurgia

A cirurgia é apenas a primeira parte do processo de reabilitação com Implante Coclear.

 

Algumas semanas após a cirurgia, o audiologista irá ativar o Implante Coclear conectando o componente externo ao componente interno. Nesse primeiro momento de ativação conseguirá ouvir sons mas só após algumas sessões de programação conseguirá entender palavras.

Com o tempo, o cérebro adapta-se melhor ao tipo de estímulo elétrico fornecido pelo Implante Coclear, melhorando a qualidade da perceção auditiva.

 

Na criança com surdez severa a profunda, de início - antes da aquisição de linguagem, inicia-se todo um processo de reabilitação da audição e de aquisição de linguagem que irá exigir uma dedicação ao longo de muitos anos por parte da  criança e da sua família, dos audiologistas, dos terapeutas da fala e inclusive dos seus professores.

A motivação de todos estes elementos é um fator determinante no sucesso do Implante Coclear.

 

No adulto com linguagem todo o processo de ativação e programação é mais fácil e rápido.

 

Quais os resultados

O Implante Coclear é hoje o melhor método de reabilitação da surdez severa a profunda para quem não beneficie do uso de próteses auditivas.

Assegura uma grande melhoria na perceção de sons e da possibilidade de compreensão da fala humana.

 

Em adultos os melhores resultados observam-se quando:

  • A surdez severa/ profunda não é de longa duração (intervenção precoce)
  • Existe linguagem
  • Não existem doenças associadas que limitem o potencial de interpretação dos estímulos a nível cerebral
  • O adulto está motivado para colaborar em todo o processo de programação

 

Nas crianças os melhores resultados observam-se quando:

  • A intervenção é precoce. Quanto mais cedo o cérebro receber estímulos auditivos melhor e mais rápido é o desenvolvimento das vias auditivas a nível cerebral. Apesar de se colocar como idade desejável a implantação com um ano de vida é possível, e temos realizado a cirurgia mais cedo
  • Estimulação bilateral
  • Motivação da criança e da sua família no processo moroso de programação, reabilitação e aquisição da fala
  • Ausência de doenças associadas que dificultem o processo cerebral da audição (perceber exige mais do que ouvir)

 

Doenças relacionadas