Doença de Kawasaki

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Complicações

A doença de Kawasaki é uma vasculite, ou seja, uma inflamação dos vasos sanguíneos de pequena e média dimensão. É uma doença aguda, febril e rara, que atinge as crianças, em 85% dos casos com menos de 5 anos. Um dos efeitos mais sérios desta doença é inflamação e lesão das artérias coronárias - as que transportam o sangue que alimenta o coração. 

É uma das principais causas de doença cardíaca adquirida na criança, mas é tratável caso seja identificada precocemente. A maior parte das crianças recupera da doença sem ter outros problemas de saúde.

O diagnóstico da doença de Kawasaki é clínico, ou seja, é feito baseado em sintomas e sinais que os doentes apresentam.

Tem de coexistir febre alta, diária, difícil de ceder ao antipirético, durante mais de 5 dias e, pelo menos 4, dos seguintes sintomas:

  • Erupção cutânea, rosada, maculo papular, mais comum entre o peito e as pernas e na zona genital e das virilhas. É comum existir descamação da pele das mãos e dos pés na 2ª semana de doença
  • Vermelhidão e inchaço do dorso das mãos e planta dos pés.
  • Olhos vermelhos sem exsudado
  • Gânglio cervical, no pescoço, com mais de 1,5 cm.
  • Inflamação da boca e lábios.
  • Língua vermelha.

Pode haver referencia a outros sintomas, denominados sintomas minor, que geralmente surgem mais tarde, como:

  • Dor nas articulações.
  • Dores abdominais.
  • Problemas gastrointestinais, como diarreia e vómitos.
  • Irritabilidade 

A doença de Kawasaki pode provocar problemas cardíacos, como miocardite e aneurismas coronários, sobretudo se não for iniciado tratamento até ao 10 dia de doença.

Como o diagnóstico é clínico, é fundamental que o médico suspeite da doença, uma vez que o tratamento atempado evita as complicações cardíacas. A incidência destas complicações quando o doente não é não tratado é de 20 a 30%, enquanto que se for realizado tratamento serão de 3 a 5%.

Ainda não foi possível determinar a causa desta doença. A doença foi primeiro descrita no Japão. Poderá estar associada a vírus, bactérias e outros fatores presentes no dia a dia da criança, como químicos. A sua ocorrência é mais comum no inverno e na primavera. A doença de Kawasaki não é contagiosa.

Não existe um teste específico para o diagnóstico da doença de Kawasaki. Como se disse, o diagnóstico é clínico, pelo somatório de sintomas e sinais que a criança apresenta.

Todavia, existem alterações laboratoriais associadas a esta doença, pelo que o  médico irá proceder a uma avaliação analítica ao sangue e urina. Quando se suspeita desta doença é sempre realizada uma avaliação cardiológica, nomeadamente um ecocardiograma.

O tratamento da doença de Kawasaki implica internamento hospitalar.

A terapêutica essencial é a administração via intravenosa de imunoglobulina humana que vai fornecer anticorpos para combater a vasculite. 

A par desta terapêutica, é sempre administrado ácido acetilsalicílico (AAS) inicialmente em doses elevadas.

Quando o tratamento é iniciado de forma precoce, o risco de a criança desenvolver problemas cardíacos é muito menor, como se referiu em cima.

A maioria das crianças recupera completamente e não tem problemas futuros. As complicações cardíacas referidas são as mais temidas.

Todavia, há casos descritos como doença de Kawasaki atípica, os quais podem estar associados a diagnósticos mais difíceis e, por conseguinte, a mais complicações.

Toda a criança com diagnóstico de doença de Kawasaki deverá ser seguida pelo seu médico assistente e, caso tenha havido lesão cardíaca, pelo cardiologista pediátrico durante uns meses largos.

Fontes
  • Web MD
  • Mayo Clinic