Hidrosadenite supurativa

O que é?
Sintomas
Causas
Diagnóstico
Tratamento
Prevenção

É uma condição crónica e recorrente da pele, localizada em zonas de fricção e irritação. Na mulher, predomina nas virilhas, axilas e pregas inframamárias e no homem nas nádegas e região perianal. 

Causa pequenos nódulos inflamados e dolorosos que podem tornar-se muito volumosos, originando  frequentemente abcessos que acabam por drenar pús e originar cicatrizes exuberantes que interferem com o movimento e qualidade de vida do doente.

A localização típica e a recorrência da doença permite distinguir de outras doenças da pele, como: 
 

  • Quistos epidermoides
  • Acne
  • Foliculite
  • Furúnculos

Numa fase inicial, caracteriza-se pelo aparecimento de lesões cutâneas inflamatórias superficiais ou profundas, formando nódulos dolorosos. Com as sucessivas crises formam-se abcessos, fístulas e úlceras com eliminação de pús, associados a cicatrizes retraídas.

É causada pela inflamação das glândulas sudoríparas apócrinas. As lesões iniciam-se pela oclusão dos seus canais excretores com consequente reação inflamatória. A obliteração dos folículos pilossebáceos e a libertação de ceratina e restos celulares para as camadas mais profundas da pele também parecem estar implicados. Por último, foram isolados variados gérmenes, como o Staphylococcus aureus e os Bacterioides spp. São os estreptococos anaeróbios que parecem ser responsáveis pela intensa inflamação e libertação de pus que caracterizam a hidrosadenite supurativa.

O diagnóstico é clínico e baseia-se na avaliação dos sinais e sintomas e no exame da zona da pele afetada.Na presença de lesões contendo pus,pode eventualmente ser colhido material para teste de laboratório.

Deve ser efetuado o estudo geral do doente para identificação de eventuais doenças associadas, como a diabetes e a obesidade. Os cuidados locais devem incluir medidas de higiene com lavagem adequada, eliminação de fricção local, aplicação de compressas húmidas, colocação de pensos almofadados, evitar vestuário apertado ou impermeável.

Vários tratamentos médicos têm sido ensaiados com eficácia variável e transitória. Salientam-se os corticosteroides orais ou injetados nas lesões, isotretinoina oral, antibioterapia oral com clindamicina e rifampicina, finasterida oral e, mais recentemente, os agentes biológicos (infliximab ou adalimumab). Outra opção é o tratamento cirúrgico com remoção de toda a área atingida até à pele normal.

Existem algumas medidas simples que podem diminuir a sua ocorrência:

  • Manter controle do peso
  • Usar roupas largas e de fibras naturais
  • Evitar a fricção das áreas afetadas
  • Lavar e limpar diariamente as áreas afetadas com sabão antibacteriano
Fontes:

Medical News Today

Mayo Clinic

Cleveland Clinic

Doenças relacionadas