Reabertura do Atendimento Médico Não Programado

Hospital CUF Sintra e da Clínica CUF Almada

A CUF continua a reabertura de forma gradual e faseada da sua atividade clínica.

 

Com a certeza de que os clientes CUF continuam a precisar de uma resposta atempada e segura para um conjunto alargado de urgências, a CUF informa que reabriu os serviços de Atendimento Médico Não Programado de adultos e crianças do Hospital CUF Sintra e da Clínica CUF Almada.

 

Atendimento Médico Não Programado Adultos

Tanto no Hospital CUF Sintra como na Clínica CUF Almada, o Atendimento Médico Não Programado de Adultos admite e trata todos os doentes exceto doentes COVID-19. Após uma triagem inicial, feita na entrada do Serviço de Atendimento Médico Não Programado, os doentes com sintomas suspeitos de COVID-19 serão encaminhados para o Hospital CUF Infante Santo em Lisboa ou para um hospital público (SNS) mais próximo, em função da sua própria preferência e, naturalmente, da respetiva condição clínica.

 

O horário de funcionamento destes dois serviços de Atendimento Médico Não Programado de Adultos é das 8h00 às 24h00, 7 dias por semana.

 

Atendimento Médico Não Programado Crianças

O Atendimento Médico Não Programado de Crianças do Hospital CUF Sintra e na Clínica CUF Almada está aberto das 8h às 24h, 7 dias por semana. É realizada triagem inicial de doentes COVID-19. No caso de episódio confirmado de COVID-19, e se for necessário internamento, estas crianças serão devidamente encaminhadas para o hospital de referência de acordo com indicações da Autoridade de Saúde. 

 

Por forma a reduzir a circulação de pessoas nos hospitais e clínicas CUF, continua suspensa, temporariamente, a possibilidade de acompanhante em consultas, exames ou Atendimento Permanente, exceto nos seguintes casos: clientes de pediatria, clientes com deficiência, em situação de dependência e clientes em cuidados paliativos/com saúde frágil que necessitem de acompanhamento.

 

Informamos ainda que, de acordo com os procedimentos de segurança adaptados podem ser cobrados custos relativos ao uso de equipamentos de proteção individual, necessários à prática clínica em segurança em contexto de COVID-19, em determinados procedimentos/serviços. Saiba mais aqui.