É possível apanhar COVID-19 ao ar livre?

COVID-19
4 mins leitura

Embora os riscos sejam substancialmente mais baixos ao ar livre, é importante adotar os cuidados recomendados, sobretudo o uso de máscara e o distanciamento.

As formas de transmissão da COVID-19 têm sido muito estudadas desde o surgimento deste vírus e é consensual entre a comunidade científica que o risco de transmissão do novo coronavírus é mais baixo ao ar livre do que em ambientes fechados. Isto significa que em espaços exteriores estamos livres de apanhar COVID-19? A resposta é “não”.

Tendo como base o conhecimento existente, sabe-se no entanto que há um risco muito mais baixo de contágio ao ar livre do que em espaços fechados. Isto não quer dizer que os ajuntamentos ao ar livre, sem máscara e sem o distanciamento de segurança recomendado (dois metros) impossibilitem a transmissão da doença, pelo que é importante não facilitar.

 

Porque é que o risco é mais baixo no exterior?

A COVID-19 transmite-se através de gotículas respiratórias que ficam no ar quando uma pessoa infetada tosse, espirra, fala ou canta. Esse contágio é facilitado se o contacto com o portador do vírus for próximo e prolongado e em espaços com pouca renovação do ar, sendo os espaços fechados facilitadores do risco de transmissão. Contudo, não se pode afirmar que a rua seja um local absolutamente seguro: o que acontece é que a probabilidade de ser contagiado com COVID-19 em espaços exteriores é mais baixa. Ao ar livre, as partículas virais do SARS-CoV-2 são muito mais facilmente diluídas pelo ar e até levadas pelo vento, o que diminui substancialmente o risco de contágio. Pelo mesmo motivo, é recomendado que mesmo em espaços fechados haja uma correta ventilação, com portas e janelas abertas, para que as partículas virais se dissipem com maior facilidade.

 

Superfícies ao ar livre

O contágio através de superfícies infetadas, como as maçanetas das portas, por exemplo, é muito mais improvável que aconteça no exterior do que no interior de um espaço, pois inclusivamente os raios ultravioleta facilitam a destruição das partículas virais. Mas atenção que, ainda assim, ao ar livre continuam a haver cuidados que se impõem. Quando tocar numa superfície como a caixa Multibanco, por exemplo, é fundamental que higienize as suas mãos com uma solução de álcool imediatamente depois de usar a máquina.

 

Como diminuir o risco de contágio ao ar livre

A atividade física é uma das melhores formas de mantermos o corpo e a mente saudáveis. Sobretudo quando está bom tempo, o ar livre é o local de eleição para a atividade física de crianças e adultos. Apesar do risco de contágio de COVID-19 ser mais baixo em espaços exteriores do que em locais fechados, não é nulo e, por isso, há algumas medidas que deve adotar para se proteger, tais como:

  • Quando planear atividades ao ar livre, evite os momentos do dia mais movimentados, assim como locais com maior concentração de pessoas.
  • Leve consigo um desinfetante de mãos com pelo menos 60% de álcool e uma máscara.
  • Antes de sair de casa, se for fazer atividades em família, certifique-se de que todos os membros do agregado se sentem bem e não manifestam sintomas, como febre ou tosse.
  • Relembre os seus familiares acerca de alguns cuidados que devem ter, como manter a distância de segurança (pelo menos 2 metros) de pessoas que não pertençam ao agregado familiar.
  • Evite tocar com as mãos na cara e lave e desinfete as mãos com frequência.
  • Se vai fazer refeições fora de casa, leve a sua própria comida e utensílios. Se não for possível, dê preferência a opções de take-away em vez de comer no interior de um estabelecimento. Não se esqueça de higienizar as mãos antes de comer.
  • Vindo da rua, ao chegar a casa, a primeira coisa a fazer é lavar as mãos com água e sabão durante pelo menos 20 segundos.
Publicado a 18/03/2021